• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Família terá de esperar até segunda-feira para liberar corpo de vítima de acidente em Viana

  • COMPARTILHE
Geral

Família terá de esperar até segunda-feira para liberar corpo de vítima de acidente em Viana

Segundo familiares, Jadson Aguiar de Siqueira, de 34 anos, está entre os quatro mortos na tragédia, ocorrida na última quarta-feira

Redação Folha Vitória

A família do técnico em informática Jadson Aguiar de Siqueira, de 34 anos, um dos quatro mortos no grave acidente ocorrido no final da manhã de quarta-feira (11), na BR 101, em Viana, precisará esperar pelo menos mais quatro dias para fazer o reconhecimento do corpo e liberá-lo no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória.

Os familiares de Jadson foram informados que, por causa do feriado, os profissionais responsáveis pela liberação dos corpos estão de folga. Com isso, a orientação é de que eles compareçam ao DML somente na próxima segunda-feira (16), quando o expediente estará normalizado no local.

"Minha sobrinha, esposa dele, mais o meu cunhado foram lá e eles não atenderam porque é feriado. Disseram que só amanhã poderiam dar entrada e que só a partir de segunda-feira isso seria resolvido. Mas a gente pedia que não houvesse essa demora toda, porque nós temos certeza de que era ele que estava lá", lamentou Laudelina Aguiar Gomes, tia da vítima.

Oficialmente, no entanto, a Polícia Civil não confirmou à família que Jadson está entre as vítimas que morreram na tragédia, já que não havia documentos com ele e o corpo foi carbonizado. Por meio de nota, a PC informou que será coletado material dos familiares das vítimas e dos três corpos que estão no DML, para que seja feito o exame de DNA. O laudo sairá em até 15 dias, segundo a Polícia Civil.

Família

Nesta quinta-feira (12), parentes e amigos de Jadson estiveram na casa dos pais dele, no bairro Ribeira, em Viana, para prestar solidariedade aos familiares. 

"O Jadson sempre foi um exemplo para todos os jovens, um esposo exemplar, um pai maravilhoso, que todo filho precisa e quer ter, e um grande amigo. Ele era uma pessoa que agregava, queria ver as pessoas unidas. Hoje o bairro Ribeira tem aproximadamente 1,5 mil moradores e todos estão enlutados", afirmou Tânia Regina Siqueira Cardoso, prima de Jadson.

O técnico em informática morava bem perto de onde aconteceu o acidente. Ele estava indo atender um estabelecimento, para prestar serviços de informática, quando aconteceu a tragédia. Jadson era casado e tinha um filho de seis anos.