Investigação sobre morte de advogado de Cachoeiro segue sob sigilo

Polícia

Investigação sobre morte de advogado de Cachoeiro segue sob sigilo

No fim da tarde da última sexta-feira (14), a Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) ouviu um testemunha, que estava no interior do veículo do advogado no momento do crime. Ninguém ainda foi preso

Redação Folha Vitória

As investigações do sobre o assassinato do advogado Fernando da Costa Ghio, de 35 anos, ocorrido no início da tarde da última sexta-feira (14), na Rodovia do Contorno, em Cachoeiro de Itapemirim, seguem em andamento e sob sigilo da Polícia Civil. O crime é tratado como homicídio e é investigado pela Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV). O corpo de Fernando está sendo velado no Cemitério Parque, no bairro IBC, e será sepultado às 16h deste sábado (16).

De acordo com o delegado Guilherme Eugênio, responsável pelas investigações, o advogado foi morto com um tiro na cabeça. "Em um primeiro momento, não foi localizado o orifício de entrada e o caso era tratado como acidente de trânsito. No Serviço Médico Legal (SML) foi constatado o orifício de entrada de projétil de arma de fogo na cabeça da vítima", explica.

Fernando estava com outras pessoas no veículo. Segundo o delegado, após ser baleado, ele perdeu o controle do veículo e caiu com o veículo em uma ribanceira, às margens da Rodovia do Contorno. Uma das pessoas que estava no carro sofreu várias escoriações no corpo por causa do acidente e foi encaminhada para a Santa Casa de Cachoeiro, e liberada na noite do mesmo dia. 

"Havia outras pessoas no carro e já ouvimos uma delas. Temos uma linha de investigação já estabelecida, mas não podemos entrar em detalhes para não atrapalhar o trabalho que já vem sendo feito", continua Eugênio.

O delegado acredita que na próxima semana terá novidades sobre o caso. "Qualquer dado revelado sobre o caso, pode atrapalhar a investigação em curso. Esperamos dar uma notícia sobre o crime na próxima semana, se tudo correr como esperamos", completa.