Duas pessoas são autuadas após polícia encontrar arma que matou frentista em Cariacica

Polícia

Duas pessoas são autuadas após polícia encontrar arma que matou frentista em Cariacica

O frentista José Rubens foi morto a tiros no posto onde trabalhava, em Vila Capixaba, Cariacica, no dia 30 de setembro

Redação Folha Vitória

Foi encontrada, nesta quarta-feira (11), a arma utilizada para matar o frentista José Rubens Dutra, de 49 anos, no dia 30 de setembro em um posto de combustíveis localizado no bairro Vila Capixaba, no município de Cariacica. A Delegacia de Crimes Contra a Vida do município encontrou o revólver calibre 38 em uma casa no bairro Mucuri.

Na residência, estava Manoel Ricardo Neto, de 62 anos de idade, que confessou estar guardando a arma a pedido de Ediméia Izidória, de 46 anos, companheira do assassino do frentista, Alex Delfim de Paula, que já foi detido e encaminhado para o presídio.

A mulher confessou que recebeu a arma de fogo de seu companheiro logo após ele matar José Rubens. Manoel, o homem que estava na casa, foi autuado em flagrante por posse de arma de fogo, e Ediméia por favorecimento ao suspeito do crime.

O crime

José Rubens foi morto a tiros no posto onde trabalhava no dia 30 de setembro. Testemunhas disseram à polícia que o frentista foi assassinado após uma discussão com Alex. A ação foi registrada por câmeras de segurança.

Ainda de acordo com testemunhas, a discussão teve início porque Alex foi ao estabelecimento comprar um galão de gasolina e, na hora de pagar pelo produto, o cartão de crédito dele não passou. O cliente teria se exaltado e discutido com o frentista, que decidiu chamar a Polícia Militar.

Mesmo na presença dos policiais, Alex continuou discutindo com José Rubens. O suspeito estava acompanhado de uma criança que, segundo funcionários do posto, é filha dele.

Pouco depois, Alex voltou sozinho ao estabelecimento e com outra roupa. Ele estacionou o carro numa rua lateral, foi andando até o posto, se aproximou de José Rubens, que se preparava para atender outro cliente, e atirou seis vezes. Em seguida, o suspeito saiu correndo.

Os funcionários que trabalham no posto chegaram a ligar para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas o frentista não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

José Rubens trabalhava no local há cerca de 8 anos e era conhecido por todos pelo fato de ser um profissional dedicado ao trabalho. Ele era casado, tinha três filhos e duas netas.