• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Suspeito de sequestrar Thayná é levado para presídio no Xuri

  • COMPARTILHE
Polícia

Suspeito de sequestrar Thayná é levado para presídio no Xuri

Ademir Lúcio Ferreira de Araújo está na Penitenciária Estadual de Vila Velha V, local para onde são encaminhados suspeitos de cometer crimes de violência sexual

Redação Folha Vitória

O suspeito de sequestrar a menina Thayná Andressa de Jesus, de 12 anos, foi encaminhado, nesta terça-feira (14), para o complexo do Xuri, em Vila Velha. Ademir Lúcio Ferreira de Araújo está na Penitenciária Estadual de Vila Velha V, local para onde são encaminhados suspeitos de cometer crimes de violência sexual.

Ademir foi preso na manhã de segunda-feira (14), no centro de Porto Alegre (RS), e transferido para o Espírito Santo, onde chegou durante a noiteTrês viaturas do Grupo de Operações Táticas (GOT), da Polícia Civil, estiveram no local para fazer a escolta do suspeito até a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde prestou depoimento por cerca de três horas.

A equipe de jornalismo da TV Vitória/Record TV apurou que Ademir passou a noite na Delegacia Patrimonial, também em Vitória. De acordo com informações obtidas pela reportagem, ele chegou ao local por volta de 23h40, teve uma noite de sono tranquila e aparentava cansaço.

Na manhã desta terça-feira (14) Ademir Lúcio foi apresentando à imprensa, mas não quis falar com os jornalistas. Limitou-se a dizer que só dará as versões dos fatos na frente do juiz. "Só vou falar em juízo, é um direito constitucional que eu tenho", disse Ademir.

De chinelo, calça marrom e camisa social branca, Ademir Lúcio Ferreira de Araújo, de 55 anos, foi apresentando à imprensa na manhã desta terça-feira (14). Ele foi preso na manhã desta segunda-feira (13) em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Ademir é suspeito de sequestrar a menina Thayná Andressa de Jesus, de 12 anos.

Ademir não quis falar com a imprensa. Limitou-se a dizer que só dará as versões dos fatos na frente do juiz. "Só vou falar em juízo, é um direito constitucional que eu tenho", disse Ademir.

Questionado sobre o fato dele ter oferecido dinheiro em troca dele ter relações sexuais com Thayná, conforme ele mesmo relatou em um vídeo divulgado ontem pela polícia, Ademir negou hoje que tenha oferecido qualquer quantia. "Não ofereci nada. Minha versão é com o juiz", disse.

Após alguns segundos de silêncio e questionado pelos jornalistas presentes se ele não devia um esclarecimento aos capixabas, Ademir foi breve. "Não tenho o que falar com a sociedade, somente com a Justiça".

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, ao falar sobre o caso, Ademir mostrou bastante tranquilidade. Durante o depoimento, contou ainda que já conhecia a mãe de Tainá e que usou nomes de familiares da menina para atraí-la.

"Ele disse que conhecia, tanto que usou os nomes para atrair a menina para dentro do carro. Ele fala assim: 'Apesar dela não se lembrar de mim, ela já namorou um amigo meu e eu a conheço. Chamei a menina, perguntei se era filha de Clemilda, aí ela relaxou e entrou no carro", contou o delegado José Lopes.

De acordo com as investigações, 10 dias após o crime, Ademir vendeu o veículo para um produtor de queijos de Guarapari, pela quantia de R$ 5 mil . No dia 30 de outubro, fugiu para o Rio Grande do Sul. "Segundo ele, ele fugiu pois estava com medo de ser morto, estava se sentindo ameaçado. Ele disse que visitou o filho dele, passeou no shopping", afirmou o delegado.

Segundo Lopes, ele tentou convencer a polícia de que a menina teria sofrido um acidente. "Ele quis me convencer que Thayná sofreu um acidente e ele tentou socorrer. Ela veio a óbito e ele, desesperado, fugiu. Ele caiu em contradição, pois a gente sabe a história, a gente está investigando. Quando eu perguntei a ele sobre a arma de fogo, pois no Facebook dele tem uma arma, ele disse que a arma é de brinquedo e a arma dele é a mente dele, e é. Tudo o que a gente fala ele transforma em história. Temos que ter cuidado com o que a gente fala. Ele estava falando comigo como se a gente estivesse em um bar bebendo cerveja, com muita tranquilidade".

Ademir é considerado um homem perigoso. Ele já tem passagens pela Justiça por estelionato, roubo e homicídio. Ele também é suspeito de ter estuprado uma menina de apenas 11 anos, três dias antes de ter sequestrado Thayna.

"Praticamente comprovada a autoria dele em outro caso de estupro e é importante verificar se ele não tem participação em outros casos. Por isso é fundamental usar essa imagem para que nós possamos estimular as pessoas para fazerem novas denúncias", destacou o secretário de Estado de Segurança Pública, André Garcia.

Noite

Ademir Lúcio Ferreira de Araújo, de 55 anos, passou a noite de segunda-feira na Delegacia Patrimonial, localizada em Vitória. A informação foi apurada pelo jornalismo da TV Vitória na manhã desta terça-feira (14).

Ademir chegou ao local por volta de 23h40 e permaneceu detido durante toda a noite. De acordo com informações obtidas pela reportagem, ele teve uma noite de sono tranquila e aparentava cansaço.

Depois de prestar depoimento por cerca de três horas na Divisão de Homicídios e realizar exame de corpo e delito no Departamento Médico Legal (DML), Ademir saiu escoltado por policiais. Ele desembarcou no Aeroporto de Vitória por volta de 20 horas desta segunda-feira. Três viaturas do Grupo de Operações Táticas estiveram no local para fazer a escolta do suspeito até a delegacia.

Veja!