• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Etanol sobe em 17 Estados, mas preço médio no Brasil recua 0,03%

  • COMPARTILHE
Economia

Etanol sobe em 17 Estados, mas preço médio no Brasil recua 0,03%

Em apenas oito Estados e no Distrito Federal houve recuo, enquanto no Amapá os preços permaneceram estáveis

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros subiram em 17 Estados brasileiros na semana passada, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Em apenas oito Estados e no Distrito Federal houve recuo, enquanto no Amapá os preços permaneceram estáveis.

Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação média do hidratado apresentou baixa de 0,24% sobre a semana anterior, de R$ 2,880 pra R$ 2,873 o litro. No período de um mês, os preços do combustível recuaram 0,66% nos postos paulistas.

A maior alta no preço do biocombustível na semana passada, de 1,52%, foi no Maranhão. A maior baixa semanal, de 1,05%, ocorreu em Roraima.

Apesar da alta na maioria do Brasil, na média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP houve queda 0,03% no preço do etanol na semana passada.

Além de São Paulo, no período de um mês os preços do etanol recuaram apenas no Espírito Santo.

O destaque de alta mensal foi Ceará, com 3,24% no período. Na média brasileira o preço do etanol pesquisado pela ANP acumulou alta de 0,23% na comparação mensal.

No Brasil, o preço mínimo registrado na semana passada para o etanol em um posto foi de R$ 2,177 o litro, em Mato Grosso, e o máximo individual ficou de R$ 4,739 o litro, no Rio Grande do Sul.

O menor preço médio estadual foi de R$ 2,619 o litro, também em Mato Grosso, e o maior preço médio também ocorreu no Rio Grande do Sul, de R$ 4,019 o litro.

Competitividade

Os valores médios do etanol hidratado permanecem vantajosos sobre os da gasolina somente em postos dos Estados de Mato Grosso e Goiás, segundo dados da ANP, compilados pelo AE-Taxas. O levantamento considera que o combustível de cana, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Em Mato Grosso, onde o etanol é o mais competitivo, o biocombustível é vendido em média por 62,18% do preço da gasolina. Em Goiás a paridade está em 68,53%. Minas Gerais, onde o etanol vale, em média, 71,79% do preço da gasolina é o Estado onde o limite de paridade desfavorável entre o etanol e o combustível de petróleo está mais próximo aos 70%.

A gasolina é mais vantajosa no Amapá. Naquele Estado, o preço do etanol atinge 95,97% do cobrado em média pela gasolina.