• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

BoJ vai monitorar riscos de relaxamento para sistema financeiro, diz Kuroda

  • COMPARTILHE
Economia

BoJ vai monitorar riscos de relaxamento para sistema financeiro, diz Kuroda

O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, disse hoje que a instituição irá monitorar o sistema financeiro cuidadosamente em busca de eventuais efeitos negativos de sua atual política de relaxamento monetário.

"É preciso prestar atenção à possibilidade de que, se o ambiente de taxas de juros baixas continuar e a pressão sobre os lucros de instituições financeiras se tornar prolongada, isso possa ter um efeito cumulativo na sua força financeira", disse Kuroda em discurso. "Como resultado, o funcionamento da intermediação financeira pode ser comprometida."

Kuroda, no entanto, disse não ter visto ainda problemas graves no sistema bancários, diante da atitude proativa de concessão de crédito dos bancos. Em abril, o volume de empréstimos bancários no Japão teve expansão anual de 2%, ganhando força em relação ao avanço de 1,9% observado em março, segundo dados do BoJ.

Em sua última reunião de política monetária, em 26 e 27 de abril, o banco central japonês manteve sua política ultra-acomodatícia inalterada, mas desistiu de prever quando a inflação do país irá se fortalecer e atingir a meta oficial de 2%.

Embora não tenha um prazo específico para alcançar sua meta de inflação, o BoJ espera cumpri-la o mais cedo possível, afirmou Kuroda.

Como a inflação permanece muito abaixo da meta, Kuroda reiterou não ser apropriado listar as condições necessárias para uma futura saída da política de relaxamento monetário. Kuroda afirmou que o BoJ planeja dar detalhes de sua estratégia de saída somente quando estiver mais confiante sobre o cumprimento da meta.

Em março, a taxa anual de inflação subjacente - que exclui os preços de alimentos - do Japão foi de 0,9%. Fonte: Dow Jones Newswires.