• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

É prematuro concluir que inflação permanecerá em níveis de cerca de 2%, diz Fed

  • COMPARTILHE
Economia

É prematuro concluir que inflação permanecerá em níveis de cerca de 2%, diz Fed

Os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) mostraram ceticismo quanto à recente alta na inflação nos Estados Unidos, mostrou a ata da reunião de política monetária do banco central realizada no início deste mês.

"Notou-se que era prematuro concluir que a inflação permaneceria em níveis de cerca de 2%, especialmente depois de vários anos em que a inflação permaneceu persistentemente abaixo da meta", apontou o documento.

Nesse sentido, a ata indicou que alguns participantes observaram que "os ajustes na política deveriam levar em conta a possibilidade de que as expectativas de inflação de longo prazo tenham ficado um pouco abaixo dos níveis consistentes com a meta de 2%" do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês).

Além disso, a maioria dos dirigentes considerou que, se as informações recebidas confirmavam amplamente as atuais perspectivas econômicas, "provavelmente seria oportuno que o Fomc desse mais um passo na remoção das acomodações de políticas". Na reunião de maio, o Fed manteve a taxa de juros inalterada na faixa entre 1,50% e 1,75%.

No geral, de acordo com a ata, os participantes concordaram que a atual postura do Federal Reserve permaneceu acomodatícia, apoiando fortes condições do mercado de trabalho e um retorno da inflação de forma sustentada "perto do objetivo simétrico de 2%".

Apesar disso, alguns dirigentes disseram que o aumento acima do esperado nos índices de preços pode representar fatores transitórios em saúde e serviços financeiros.

Contraponto

Na contramão, os dirigentes disseram que são fontes de incerteza para o futuro da política monetária a questão fiscal, o imbróglio comercial e a recente alta dos preços do petróleo.

Ao avaliarem que as recentes mudanças na política fiscal pode dar ímpeto à economia maior até do que o esperado pela equipe do Fed, os dirigentes ponderaram que vão acompanhar o andamento dos efeitos da queda de tributos.

"Vários participantes continuaram a notar o desafio de avaliar os efeitos e a magnitude na política fiscal sobre os gastos domésticos e empresariais nos próximos anos. A partir disso, eles viram a trajetória da política fiscal como difícil de prever", apontou a ata do Fomc.

Na questão do comércio global, os participantes da reunião do Fed disseram que foram apresentadas na reunião "uma gama de possíveis resultados na atividade econômica", dependendo de quais ações serão tomadas por nos Estados Unidos e como os parceiros comerciais responderão.

"Enquanto essas políticas estiverem sendo debatidas e as negociações continuarem, a incerteza em torno das questões comerciais poderia afetar o sentimento e os gastos das empresas", disse a ata do Fomc.

Na questão da inflação, os dirigentes disseram ainda que há risco de repasse para os preços ao consumidor, direta ou indiretamente, do recente aumento dos preços do petróleo.