• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mais de 70% de desconto em dívidas durante mutirão de Guarapari

  • COMPARTILHE
Economia

Mais de 70% de desconto em dívidas durante mutirão de Guarapari

O percentual foi a média de desconto dado durante a semana de negociações de dívidas realizado pelo Procon-ES na cidade.

Carolina Brasil

Redação Folha da Cidade
Mais de R$ 6 milhões em dívidas foram negociados durante mutirão em Guarapari.

Cerca de R$ 6 milhões em dívidas foram reduzidos a pouco mais de R$ 1,5 milhão durante o 11ª Mutirão de Negociação de Dívidas, que aconteceu na última semana em Guarapari. Em números exatos, R$ 6.021.576,32 foram negociados e passaram para R$ 1.628.161,65, o que significou uma redução média de 72,96%.

Em algumas situações, os descontos ultrapassaram os 90%, de acordo com o balanço divulgado pelo próprio Procon Estadual, que trouxe casos como o de uma consumidora que negociou a dívida de R$ 21.843,88 por R$ 440,00, enquanto outra conseguiu um desconto de 93,8% da dívida que tinha no valor de R$112.942,06.

O evento, promovido pelo Procon-ES em parceria com o órgão municipal, realizou quase dois mil atendimentos. Participaram Dacasa, Crefisa, Avista, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banestes. Bandes, Cesan, Doctum e CDL Guarapari com Bazar Grande Rio, Lutex, Q-Joia Modas, Brasil Rádio Wave, Nacional Cursos, Dismagua Material de Construção, My Dreams Store, Lojas Santos e RCA TV. Negociações também foram feitas com empresas que não marcaram presença no mutirão. “Pela segunda vez o mutirão do Procon-ES abre negociações com empresas por telefone e boa parte delas foi bem receptiva. As empresas locais também foram muito importantes e se preparam indicando responsáveis e planilhas de acordo previamente estabelecidos, facilitando a negociação”, destacou Ewerton de Jesus Maximino, supervisor do Procon Municipal.

O mutirão, inédito na cidade, superou as expectativas o órgão. “Esse já era um desejo da população de Guarapari que, assim como a maioria dos brasileiros, entrou em dívida por situações alheias à própria vontade e não por má fé, e deseja ter o nome limpo para recuperar o crédito”, ressaltou Maximino.