Frio prejudica plantações e produtores do ES têm perdas milionárias

Economia

Frio prejudica plantações e produtores do ES têm perdas milionárias

Cerca de 200 agricultores já acumulam prejuízos. Os consumidores devem sentir em breve os reflexos deste prejuízo nos hortifrútis

Foto: Leitor | Whatsapp Folha Vitória

A massa de ar polar e a passagem de uma frente fria pelo Espírito Santo  preocupam os produtores rurais. O motivo são as baixas temperaturas que têm castigado as plantações e deixado prejuízos. 

A região Serrana do Estado, famosa pela clima ameno nesta época do ano, agora vê as temperaturas chegaram próximo a 0ºC. Na semana passada, o frio congelou a água da mangueira de uma propriedade que fica no distrito de Aracê, em Domingos Martins. 

A plantação de feijão do Sandro Lauret, produtor rural da região, foi bastante afetada por uma geada. "Estava muito frio, o sereno congelou. O gelo queimou a roça de feijão", contou.  

Ele tinha expectativa de colher, no próximo mês, cerca de 150 sacos, dos 180kg de feijão plantados. No entanto, o agricultor acredita que a colheita será menor e que o prejuízo deve ser grande.

"Fiz um investimento, mas com essa geada veio... Acontecer de queimar desse jeito só há 30 ou 40 anos. Tem muitos anos que isso não acontece", lembrou. 

Em Venda Nova do Imigrante, os cerca de dez mil pés morango que, em condições normais produzem 500kg da fruta por semana, agora não passam de 100kg semanais. Para piorar a situação do produtor rural Vitor Rangel, parte do que é colhido não dá nem pra ser comercializado.

"O frio deixa ele mais molhado, mais enrugado. Ele não tem o tempo necessário para ir gôndola do supermercado para ser vendido", explicou. 

LEIA TAMBÉM: Chuva e frio continuam no ES? Veja a previsão do tempo para semana

Para reduzir o prejuízo com a produção menor e as perdas por conta do frio, o produtor tem que dar outros destinos para o morango, transformando a fruta que não atinge o tamanho e peso ideal em polpa para que sejam vendidas congeladas.

A solução encontrada pelo Vitor, no entanto, não pode ser adotada por todos os produtores na região. Cerca de 200 agricultores já acumulam prejuízos. 

Em Mucurici, no Norte do Estado, uma chuva de granizo destruiu parte das lavouras de café e banana. O dono da fazenda Altierre Miossi diz que a produção deste ano está comprometida e tenta contornar as perdas. Ele estima que o prejuízo seja de R$ 3 milhões.

"Minha produção de banana foi 100% de prejuízo, em 40 mil plantas, e a produção de café 50% para o que estava previsto para o próximo ano", lamentou.

De acordo com o subgerente de rastreabilidade da Ceasa, Marcos Magalhães, o tempo frio até favorece algumas culturas, mas outras plantações podem ser impactadas, o que leva a diminuição da oferta.

"A banana, o abacaxi, o mamão, a laranja, o limão, todas as frutas tropicais gostam de calor. O fruto começa a não evoluir, ele não cresce e não desenvolve. Como a oferta não atende a demanda, isso acaba encarecendo mais o produto", disse. 

*Com informações do repórter Rodrigo Schereder, da TV Vitória/Record TV.