Investimentos em mobilidade rural fortalecem o agroturismo na Serra

RIQUEZAS DE NORTE A SUL

Economia

Investimentos em mobilidade rural fortalecem o agroturismo na Serra

As obras de pavimentação tem ajudado os turistas a chegarem nos locais e, com isso, potencializado a economia rural do município

Foto: Divulgação

Suely e Paula Ribeiro. Mãe e filha são proprietárias do Sítio Ouro Velho, em Pitanga, na Serra. O restaurante de comida caseira faz parte do agroturismo do município há mais de 16 anos. Durante todo esse tempo, os visitantes precisavam passar pela estrada de chão para apreciar as delícias do sítio. Mas, de uns meses pra cá, ficou mais fácil chegar no local.

“Desde ano passado, quando foi inaugurada a nova estrada de Pitanga, a gente sentiu a mudança, mais pessoas estão vindo visitar e existe o impacto que gera no cliente, porque não tem mais buraco, a poeira, que muita gente reclamava. E como colocaram paralelepípedo, não perdeu a essência do rural”, comenta Paula.

“Nós pavimentamos, junto com o governo do estado, a estrada de Pitanga, que é uma estrada de cunho turístico, que leva o cidadão da Serra e de fora da Serra pra visitar restaurantes, igrejas, áreas campestres. A ideia é usar a infraestrutura para alavancar os outros serviços. Infraestrutura a serviço do município”, conta o secretário municipal de Obras, Halpher Luiggi.

LEIA TAMBÉM: Serra é a maior economia do ES e o município que mais cresce no Estado

O prefeito de Serra, Sérgio Vidigal, explica que, com as obras de pavimentação, ficou mais fácil chegar não só em Pitanga, mas em Muribeca, Putiri, Guaranhuns, entre outras rotas da cidade. Comida feita em fogão à lenha, produtos da roça, hospedagem e trilhas são atrações dos vários roteiros de agroturismo que existem na Serra. 

“Na pandemia as pessoas se recolheram, deixaram de viajar e passaram a prestar atenção ao que está ao seu entorno, aqui na região metropolitana”, acredita Vidigal.

O entorno da Igreja e Residência dos Reis Magos, em Nova Almeida, também está recebendo obras de melhorias. O local recebe duas mil pessoas por semana. É o segundo lugar mais visitado no Espírito Santo. Só perde para o Convento da Penha. A coordenadora do monumento Reis Magos, Juviana Pereira, destaca a importância histórica do local: “A Igreja aqui é muito importante pra Serra e pro Espírito Santo por causa de sua história”.

Além do agroturismo, Serra possui outros atrativos como a Lagoa Juara e seus restaurantes. Manguinhos é a praia mais charmosa da Serra. Boa parte da vegetação preservada, com ruas sem calçamento. O rio encontra o mar em Nova Almeida, praia de águas tranquilas. Já em Jacaraípe, a força das ondas é o maior atrativo. A favorita dos surfistas. Serra tem ainda o imponente Mestre Álvaro, manifestações folclóricas no entorno da Igreja Nossa Senhora da Conceição, e o circuito histórico religioso.

LEIA TAMBÉM: Diário de Bordo: as belezas e as riquezas culturais e econômicas da Serra

Além de atrair turistas, a Serra atrai moradores. É a cidade mais populosa do Espírito Santo, com mais de 536.765 mil habitantes, de acordo com o IBGE. E 75% das pessoas que moram hoje na Serra vieram de outras cidades. Com isso, mais carros, congestionamento. 

A obra da Rotatória do Ó pretende melhorar o tráfego dos quatro mil veículos que circulam por hora nesta região. No local estão sendo construídos viadutos, faixa exclusiva para ônibus, ciclovia e uma praça pública. Além de passagem expressa da Avenida Eldes Schefer até as Avenidas Talma Rodrigues e Copacabana. Um investimento de quase 37 milhões de reais.

“Ali a gente tinha um congestionamento muito grande e depois que estiver concluído a gente vai melhorar todo o trânsito do miolo nervoso da Serra. Toda aquela área de Residencial Laranjeiras, Val Paraíso, Colina de Laranjeiras, onde tem uma forte concentração de serviços e de pessoas”, explica o secretário de Obras.

*Texto produzido pela jornalista Adriana Berlink, da TV Vitória/Record TV.