• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Gasolina já está mais cara e deve gerar efeito cascata na economia

  • COMPARTILHE
Economia

Gasolina já está mais cara e deve gerar efeito cascata na economia

Aumento de imposto sobre os combustíveis foi decretado nesta quinta-feira (20). O governador do Estado criticou a decisão do governo federal

O aumento dos impostos sobre os combustíveis foi decretado nesta quinta-feira e já surtiu efeito nas bombas e no bolso dos motoristas. No dia seguinte ao decreto federal que elevou o imposto sobre os combustíveis, alguns postos da Grande Vitória já mexeram nos preços das bombas. O efeito dominó em outros setores deve vir em seguida segundo os economistas.

O economista Eduardo Araújo explica que o litro da gasolina sobe em média 40 centavos e deve inchar o orçamento. " Isso representa no dia-a-dia de quem tem despesa com gasolina algo em torno de 10%, então, para aquela família que tem uma despesa de R$ 300,00 com a gasolina, vai passar a gastar R$ 30,00 a mais por mês", disse.

A alíquota do pis/cofins sobre combustíveis mais que dobrou. A da gasolina passou de 38 centavos por litro (gc: R$ 0,3816/L) para 79 centavos por litro (gc: R$0,7925/L). O imposto sobre o diesel subiu de 24 centavos (R$0,2480/L) para 46 centavos por litro (gc: R$0,4615/L). O pis/cofins sobre o etanol, que estava zerado, voltou a ser cobrado a 19 centavos por litro. (Gc: R$0,1964/L).

O aumento deve gerar uma receita de 10 bilhões de reais ao governo, que corre para tentar segurar o já negativo déficit das contas, de 139 bilhões de reais até o fim do ano.

Ainda segundo o economista Eduardo Araújo, neste caso, o efeito do aumento de imposto é imediato.

"Uma vez assinado o decreto, não é preciso esperar, como ocorre com impostos o período de um ano. Nesse caso a elevação desses tributos surte o efeito imediato e a arrecadação é de melhor controle. O governo consegue maior celeridade para captar esses recursos", afirma Eduardo.

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, criticou duramente o aumento de impostos promovido por seu companheiro de partido, Michel Temer. Para Hartung, o governo federal não fez o dever de casa e aumentou os gastos, em vez de diminuir.

"Agiram na contra-mão do que precisava ser feito. Esse é o problema central desse aumento de imposto. Aumentou a despesa, ficou o déficit, e agora volta a sociedade que não aguenta mais essa carga tribuária monumental que temos no país, para buscar mais dinheiro na sociedade", criticou o governador.

O aumento dos combustíveis vai elevar o preço de muitos produtos, conforme explica o economista Juliano Cesar Gomes. "Nós somos muitos dependentes do modal rodoviário, o aumento vai afetar desde o produtor rural, no transporte da mercadoria para a cidade, como na distribuição do produto no mercado"

Na Grande Vitória, a tarifa dos ônibus é discutida no final do ano. Ainda segundo o governador, o combustível é um dos elementos que influeciam o custo operacional do sistema de transporte público "Há o preço do combustível, o salário do motorista, do cobrador, todos os custos para o funcionamento do sistema. Todos os elementos que inflacionam na sociedade, que aumentam os custos operacionais, acabam sendo passado para a sociedade", destacou.

Paulo Hartung, que também é economista, disse ainda que aumentar impostos e botar a conta no bolso da população a essa altura do campeonato pode esvaziar os tanques e frear o desenvolvimento.

"O brasil perdeu competitividade seriamente nos últimos 30 anos. Nós precisamos recuperar esse tempo perdido, principalmente, olhando para a juventude, para as próximas gerações", disse Paulo Hartung.