• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ministro da Fazenda prevê que ciclo de crescimento será longo e de baixa volatilidade

  • COMPARTILHE
Economia

Ministro da Fazenda prevê que ciclo de crescimento será longo e de baixa volatilidade

Apesar de o País estar deixando a recessão para trás, Henrique Meirelles disse que o momento "ainda é difícil"

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o Brasil já saiu da recessão mais longa de sua história e destacou que o programa de parcerias de investimento do governo de Michel Temer, com a concessão de várias obras públicas, como portos e rodovias, tem estimativa de investimento de R$ 77,4 bilhões até o momento. "Estamos no início de um novo ciclo de crescimento sustentado. O ciclo será longo e de baixa volatilidade", disse, durante palestra nesta terça-feira (8) em evento da Fenabrave, entidade que representa as concessionárias de veículos.

Apesar de o País estar deixando a recessão para trás, Meirelles disse que o momento "ainda é difícil". Não se pode subestimar, destacou, uma queda de 8% do Produto Interno Bruto (PIB), que foi a que ocorreu entre 2015 e 2016. "Mas estamos na rota certa."

Meirelles ressaltou que as concessões dos aeroportos de Santos Dumont, no Rio, e de Congonhas, em São Paulo, estão em discussão. "Há interesse sim (pelas concessões). O Brasil tem demanda", disse ele, destacando que quando todos os projetos forem executados as obras têm potencial de mudar o País. Nos programas de concessões do governo, Meirelles citou que as taxas de retorno serão determinadas pelo mercado. "As agências reguladoras voltam a ter papel fundamental."

Meirelles ressaltou em seu discurso a Taxa de Longo Prazo (TLP), que vai permitir que todos tenham acesso a juros mais baixos, não apenas aqueles que tomam recursos no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). "Estamos discutindo isso com o Congresso."

A TLP vai permitir o alinhamento do custo de funding no crédito público, destacou Meirelles. O ministro defendeu ainda na sua palestra o cadastro positivo, como uma medida que facilita o acesso ao crédito e barateia o empréstimo para a pessoa física.