• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Governo arrecada R$ 12,1 bilhões em leilão de 4 hidrelétricas

  • COMPARTILHE
Economia

Governo arrecada R$ 12,1 bilhões em leilão de 4 hidrelétricas

As usinas de Jaguara, São Simão, Miranda e Volta Grande somam 2,9 gigawatts em capacidade e, como já estão em operação, garante um negócio com menores riscos aos investidores.

O governo federal arrecadou R$ 12,129 bilhões com o leilão de quatro usinas hidrelétricas da Cemig (Companhia Hidrelétrica de Minas Gerais) — a expectativa inicial era a de arrecadar ao menos R$ 11 bilhões com a concessão das licenças de gerenciamento. O valor será usado pela União para cobrir o rombo fiscal deste ano, que será de R$ 159 bilhões.

As usinas de Jaguara, São Simão, Miranda e Volta Grande somam 2,9 gigawatts em capacidade e, como já estão em operação, garante um negócio com menores riscos aos investidores.

A primeira a ser arrematada hoje foi a usina de São Simão, comprada pela chinesa State Power Investment Corp. (SPIC) por R$ 7,18 bilhões, com ágio (valor acima do lance mínimo) de 6,5%.

A hidrelétrica de São Simão, a maior das oferecidas no certame, tem 1.710 megawatts em capacidade. A italiana Enel, a francesa Engie e a Aliança, joint venture entre Cemig e Vale, chegaram a se inscrever, mas não apresentaram proposta pelo ativo.

A companhia francesa, contudo, levou dois lotes no certame: as usinas de Jaguara e a de Miranda.

A Engie ofereceu um pagamento de bônus de outorga de R$ 2,17 bilhões pela usina de Jaguara, com ágio de 13,59%. A hidrelétrica tem 424 megawatts em capacidade. A italiana Enel também apresentou proposta pelo empreendimento, de R$ 1,917 bilhão.

Já a usina de Miranda foi arrematada pela empresa francesa por um pagamento de bônus de outorga de R$ 1,36 bilhão, com um ágio de 22,4%. A hidrelétrica tem 408 megawatts em capacidade.

A última a ser arrematada foi a usina de Volta Grande, a menor do certame, com 380 megawatts em capacidade, arrematada pela italiana Enel ao oferecer um pagamento de bônus de outorga de R$ 1,419 bilhão, ágio de 9,84%.