• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

BCE discutiu opções de recalibragem do QE em setembro, revela ata

  • COMPARTILHE
Economia

BCE discutiu opções de recalibragem do QE em setembro, revela ata

Investidores aguardam detalhes de como o BCE pretende retirar seu programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), que prevê compras mensais de 60 bilhões de euros em ativos até dezembro

Londres - Dirigentes do Banco Central Europeu (BCE) discutiram formas de reduzir seu gigantesco programa de compras de ativos na reunião de política monetária de 7 de setembro, além dos motivos por trás da recente valorização do euro, segundo ata do encontro publicada nesta quinta-feira.

Investidores aguardam detalhes de como o BCE pretende retirar seu programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), que prevê compras mensais de 60 bilhões de euros em ativos até dezembro. O presidente do BCE, Mario Draghi, já sinalizou que a instituição deverá anunciar seus planos para o QE na reunião do próximo dia 26.

A ata divulgada hoje mostra que o BCE quer agir de "forma bastante gradual e cautelosa" ao começar a retirar estímulos monetários.

Autoridades do BCE demonstraram preocupação de que a inflação da zona do euro permanece muito fraca, apesar de uma recente recuperação dos preços subjacentes. Segundo dados preliminares, a taxa anual de inflação ao consumidor da zona do euro ficou em 1,5% em setembro, abaixo da meta do BCE, que é de um nível ligeiramente inferior a 2%.

De acordo com a ata, o BCE discutiu a possibilidade de estender o QE por um período de tempo mais longo, "com a redução maior no ritmo" (de compras) e a opção de manter o programa por um período mais curto, com volume maior de compras mensais.

Além disso, pelo menos um dirigente do BCE argumentou na reunião do mês passado que as condições "estavam ficando cada vez mais propícias para...oferecer uma oportunidade de reduzir" o QE, informa a ata.

Já outro dirigente argumentou que os estímulos do BCE continuarão sendo formidáveis em qualquer cenário, e que tanto os custos quanto os benefícios de uma extensão precisam ser levados em consideração. Fonte: Dow Jones Newswires.