• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Juro no crédito livre cai a 43,3% em setembro; cheque especial sobe a 321,3%

  • COMPARTILHE
Economia

Juro no crédito livre cai a 43,3% em setembro; cheque especial sobe a 321,3%

Para pessoa física, a taxa média de juros no crédito livre passou de 62,3% para 59,2% ao ano, de agosto para setembro, enquanto para pessoa jurídica foi de 24,3% para 23,2% ao ano

Brasília - A taxa média de juros no crédito livre caiu de 45,6% ao ano em agosto para 43,3% ao ano em setembro, informou nesta sexta-feira, 27, o Banco Central (BC), por meio da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito. Em setembro de 2016, essa taxa estava em 53,6% ao ano.

Para pessoa física, a taxa média de juros no crédito livre passou de 62,3% para 59,2% ao ano, de agosto para setembro, enquanto para pessoa jurídica foi de 24,3% para 23,2% ao ano.

Entre as principais linhas de crédito livre para a pessoa física, destaque para o cheque especial, cuja taxa avançou de 317,3% para 321,3% ao ano de agosto para setembro. Para o crédito pessoal, passou de 49,4% para 48,5% ao ano.

Para veículos, os juros foram de 23,2% para 23,0% ao ano, de agosto para setembro.

A taxa média de juros no crédito total, que inclui operações livres e direcionadas (com recursos da poupança e do BNDES), desacelerou de 28,4% ao ano em agosto para 27,0% ao ano em setembro. Em setembro de 2016, estava em 33,1%.

Média diária

A média diária de concessões de crédito livre subiu 9,9% em setembro ante agosto, para R$ 12,2 bilhões, informou o Banco Central. Houve alta de 3,0% em 2017 até setembro e avanço de 1,1% em 12 meses.

No crédito direcionado, a média de concessões subiu 2,7% em setembro ante agosto, para R$ 1,3 bilhão. No ano até setembro, porém, há baixa de 5,7% e, em 12 meses, recuo de 9,6%.

Quando se soma o crédito livre e o direcionado, a alta das concessões médias foi de 9,1% em setembro, para R$ 13,5 bilhões. No acumulado de 2017, a alta é de 2,1% e, em 12 meses até setembro, há um recuo de 0,1%.

Spread médio

O spread bancário médio no crédito livre caiu de 36,9 pontos porcentuais em agosto para 35,1 pontos porcentuais em setembro, informou o Banco Central. O spread médio da pessoa física no crédito livre foi de 53,4 para 50,7 pontos porcentuais no período. Para pessoa jurídica, o spread médio recuou de 15,9 para 15,4 pontos porcentuais.

O spread médio do crédito direcionado passou de 4,5 pp em agosto para 4,0 pp em setembro. Já o spread médio no crédito total (livre e direcionado) passou de 21,2 para 20,2 pontos porcentuais no período.

Inadimplência

A taxa de inadimplência no crédito livre passou de 5,6% em agosto para 5,4% em setembro, informou o Banco Central. Em setembro de 2016, a taxa estava em 5,9%.

Para pessoa física, a taxa de inadimplência foi de 5,7% em agosto para 5,6% em setembro. Para as empresas, a taxa passou de 5,5% para 5,2%.

A inadimplência do crédito direcionado permaneceu em 1,8% em setembro.

Já o dado que considera o crédito livre mais direcionado mostra que a taxa passou de 3,7% para 3,6%.

No cheque especial, o volume de calotes passou de 15,7% em agosto para 15,2% em setembro.

No caso de aquisição de veículos por pessoas físicas, o volume de calotes foi de 4,1% em agosto para 3,9% em setembro. No cartão de crédito, passou de 7,2% para 7,1% no período.