• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Comércio capixaba reage em setembro, aponta Fecomércio-ES

  • COMPARTILHE
Economia

Comércio capixaba reage em setembro, aponta Fecomércio-ES

Resultado de setembro diminuiu o acumulado negativo no ano para uma queda de 3,6% em comparação ao mesmo período do ano passado

Depois de uma leve retração nas vendas do comércio capixaba em agosto (-0,5%), o comércio varejista do Espírito Santo reagiu mostrando crescimento de 1,0% nas vendas na passagem de agosto para setembro, série com ajuste sazonal, como mostra a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), realizada pelo IBGE. O desempenho das vendas na comparação anual apresentou avanço ainda maior, na ordem de 8,7% frente a setembro de 2016.

Com esse resultado, o volume de vendas no comércio varejista diminuiu o acumulado negativo no ano para uma queda de 3,6% em comparação ao mesmo período do ano passado. Desde 2015,  o indicador acumulado no ano apresenta variações negativas, mas o registrado em setembro é o menor em 29 meses. Já no indicador dos últimos doze meses o comércio mostrou uma queda acumulada de 5,0%, sendo o menor acumulado desde novembro de 2015.

Segundo a Fecomércio-ES, o comércio varejista capixaba tem apresentado crescimentos sucessivos desde o início do ano, com uma pequena quebra de tendência em agosto. "Em relação ao mesmo mês do ano passado, o crescimento foi ainda maior, fazendo com que as variações negativas acumuladas tanto no ano como em 12 meses diminuíssem novamente. No varejo ampliado os resultados foram ainda mais significativos, obtendo acumulados já positivos", 

Desempenho por atividades

Na comparação entre setembro de 2017 e setembro de 2016, oito dos dez segmentos pesquisados apresentaram variação positiva, destacando-se Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação com crescimento de 58,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Outros segmentos que tiveram altas significativas nessa comparação foram: Móveis e Eletrodomésticos 51,5% (com destaque para o segmento de Móveis que cresceu 97,2%) e Veículos, motocicletas, partes e peças com variação positiva de 33,8%. Observa-se que os segmentos que apresentaram os crescimentos mais significativos foram os que tiveram os maiores recuos no passado e reflete o atendimento a uma demanda reprimida por esses produtos.

Já a maior queda ainda foi registrada pelo segmento de Material de Construção, que mostrou uma queda de 11,7% em relação a setembro do ano passado. Os segmentos de veículos, motocicletas, partes e peças e materiais de construção incorporam o comércio varejista ampliado que, em setembro de 2017, apresentou crescimento conjunto de 15,6% contra o mesmo mês do ano anterior, puxado pelo crescimento das vendas de veículos.

Brasil

No Brasil, o comércio varejista restrito apresentou crescimento de 0,5% em setembro na comparação com agosto. Mas em relação ao mesmo mês do ano passado cresceu 6,4%. No acumulado do ano obteve uma variação positiva de 1,3% quando comparado ao mesmo período do ano passado. Já no varejo ampliado mostrou avanço de 9,3% frente ao mesmo mês do ano passado.