• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Federação estima faturamento de R$ 2,7 bi nas vendas do varejo no final de ano

  • COMPARTILHE
Economia

Federação estima faturamento de R$ 2,7 bi nas vendas do varejo no final de ano

A Fecomércio-ES ainda estima a criação de 5 mil empregos temporários

Diante de um cenário mais favorável, em comparação ao ano passado, a Fecomércio-ES estima uma alta de 2,3% nas vendas do comércio varejista no Natal 2017, representando um faturamento real em torno de R$ 2,7 bilhões, depois de dois anos consecutivos de perdas (em 2016 a queda registrada foi de 7,9% e em 2015 a queda foi de 10,4% em relação ao ano anterior).

Em relação às contratações temporárias, a Fecomércio-ES prevê a criação de 5 mil empregos temporários até o fim do ano (considerando setembro a dezembro). Nesse ano as contratações acontecem com mais expressividade nos dois últimos meses. Desse resultado, aproximadamente 1.500 trabalhadores, ou 30% dos ocupantes das vagas temporárias podem ser efetivados para o ano que vem.

De acordo com a entidade, um somatório de fatores influenciou a expectativa mais otimista para as vendas do Natal desse ano. Entre elas está o mercado de trabalho do Espírito Santo que movimentou cerca de R$ 3,5 bilhões em salários no terceiro trimestre de 2017. Esse número é 5,5% maior que o registrado para o mesmo trimestre em 2016, representando R$ 184 milhões a mais em circulação na economia do Estado. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua - Trimestral), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Além disso, a Fecomércio-ES destaca que a queda da inflação no país e no Estado refletiu em itens típicos consumidos nessa época festiva. Nos últimos 12 meses no IPCA medido para a Grande Vitória recuos significativos ocorreram nesses itens, que se destacaram mostrando deflação como, por exemplo, alimentação no domicílio (-5,92%), Eletrodomésticos e Equipamentos (-5,77%), TV, som e informática (-7,28%), aparelhos telefônicos, incluindo celulares, (-7,06%) e brinquedos (- 0,99%). Por outro lado, o vestuário (+3,79%) e as passagens de ônibus intermunicipais (+6,67%) e aéreas (+32,74%) tiveram a inflação mais expressiva. Contribuiu também para a percepção mais positiva quanto às vendas no fim de ano a redução da taxa de juros.

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) de Vitória é outro dado que ajuda na expectativa positiva. "Em outubro, o índice mostrou melhoria nas expectativas para os próximos meses, o que está animando os comerciantes. Quando questionados sobre a expectativa de contratação de funcionários, 71,2% afirmaram que pretendem aumentar o quadro de funcionários para os próximos meses", ressalta a entidade. 

Apesar o otimismo, a Federação destaca ainda que o cenário ainda é de alto endividamento das famílias e a baixa intenção de consumo das mesmas identificadas nas pesquisas de endividamento e inadimplência do consumidor (PEIC) e intenção de consumo das famílias (ICF) divulgadas para Vitória. "A sinalização desses resultados não permitiu o cálculo de um aumento mais significativo para as vendas de Natal. Mas devido ao apelo emocional da data, as pessoas não deverão deixar de presentear. No entanto, é esperado que o consumidor opte por presentes de valores mais acessíveis e o valor desembolsado deverá ficar entre R$ 80 a R$ 120", aponta.  

Os segmentos que registram maior movimento no período são os de vestuário, brinquedos, eletroeletrônicos e telefonia celular.