• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Quase 80% das famílias de Vitória estão endividadas, revela pesquisa

  • COMPARTILHE
Economia

Quase 80% das famílias de Vitória estão endividadas, revela pesquisa

O cartão de crédito ainda é o principal tipo de dívida para as famílias de Vitória, seguido pelo cheque especial

Mais de 100 mil famílias da capital do Estado estavam endividadas no mês de outubro, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), divulgada pela Fecomércio-ES. Em relação ao mês de setembro,  percentual de endividamento cresceu 1,2 pontos percentuais (p.p), alcançando 78,6% das famílias de Vitória. Em relação a outubro de 2016, o endividamento ficou 9,8 p.p. acima.

A proporção de famílias que declararam ter conta ou dívidas em atraso (inadimplentes) que havia recuado nos últimos dois meses voltou a subir em outubro. A inadimplência está em nível alto, mostrando que 58,8% do total de famílias de Vitória estão com contas atrasadas. Entre os endividados esse percentual aumenta para 74,8%. Já o percentual das famílias que afirmaram que não terão condições de pagar suas dívidas em atraso no próximo mês permaneceu em 8,2%.

O cartão de crédito continua sendo o principal tipo de dívida para as famílias de Vitória, representando 61,7% e avançando 6,3 p.p. em outubro em relação a setembro. O cheque especial aparece no segundo lugar como tipo de dívida para 39,9% das famílias da capital.  A utilização do crédito pessoal e dos carnês ficou em terceiro e quarto lugares representando, respectivamente, 38,5% e 37,9% das dívidas das famílias.

Entre os endividados, a parcela de comprometimento da renda mensal com dívidas em outubro caiu para, em média, 13,8%, representando o menor nível da série histórica do índice. E aquelas famílias que se encontram inadimplentes afirmaram que o pagamento está atrasado há cerca de 57 dias, em média. Ainda, segundo eles, sua renda estará comprometida com essas dívidas pelos próximos 7 meses.

Nos quatro primeiros meses do ano de 2017 o cartão de crédito imperava como o principal tipo de dívida das famílias. Em maio observou-se uma tentativa de substituição da dívida mais cara (cartão de crédito) por uma dívida que possui juros um pouco menor (crédito pessoal), mas essa tendência não se firmou e o cartão voltou a ser mais utilizado, acompanhado do crescimento da utilização do cheque especial.

Mais uma vez a inadimplência das famílias foi destaque no cenário de endividamento da capital do Espírito Santo. O mês de outubro mostrou que mais da metade das famílias de Vitória possuem pelo menos uma dívida ou conta em atraso (58,8% do total das famílias) após dois recuos consecutivos nos meses anteriores. O número de famílias também aumentou e daqueles que não terão condições de pagar suas dívidas atrasadas ficou estável.

Para a Fecomércio -ES,  a baixa da inflação e dos juros fez com que, em média, o comprometimento da renda mensal de uma família com dívidas diminuísse, pois a diminuição dos custos do crédito provocou uma suavização do impacto da parcela do empréstimo na renda mensal. No malabarismo para equilibrar as contas do mês, o que se observa é que um número cada vez maior de famílias tem se endividado, muitas vezes lançando mão de opções mais rápidas e caras de crédito. 

Ainda de acordo com a avaliação da entidade, o maior desafio ainda é a recuperação do mercado de trabalho, que influencia diretamente na capacidade de pagamento das famílias. A utilização do crédito de forma não planejada e desestruturada também faz com que os indicadores permaneçam em níveiselevados nesse cenário de dificuldades em equilibrar o orçamento mensal.