• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Supermercados devem permanecer fechados aos domingos, segundo Acaps

  • COMPARTILHE
Economia

Supermercados devem permanecer fechados aos domingos, segundo Acaps

Empresários capixabas recuaram e decidiram manter os supermercados fechados

Uma reviravolta pode impedir a abertura do supermercados aos domingos no Espírito Santo. Com o fim do ano letivo da convenção coletiva, na última terça-feira (31), entrou em vigor o decreto governamental que estabelece que supermercados são segmentos essenciais, o que garante, de forma facultativa, o funcionamento aos domingos.

No entanto, empresários do Estado recuaram e decidiram manter os supermercados fechados. Segundo o diretor superintendente da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps), Hélio Schneider, 98% dos supermercadistas não têm a intenção de abrir, além do custo da abertura ser alto.

"Tudo indica que vai permanecer fechado. Isso foi definido em acordo entre os representantes do comércio varejista e dos supermercados e até sexta-feira já vamos ter tudo certo. O custo operacional para abrir aos domingos acaba não compensando e também tem uma insatisfação da parte dos colaboradores. Cerca de 98% dos supermercadistas não tem a intenção de abrir", afirma.

Ainda de acordo com o diretor, a carga horária dos funcionários de supermercados já é alta, então o índice de rejeição à abertura aos domingos é muito alto. "Não podemos simplesmente decidir que vai abrir, até porque, qual setor comercial abre às 07h e às vezes encerra o expediente às 23h? Nós temos uma carga horária muito grande já e o índice de rejeição à abertura é altíssimo, desde microempreendedores até as empresas de relevância nacional que temos", explica.

Apesar disso, Schneider garante que a decisão pode mudar ao longo do próximo ano. "São decisões muito responsáveis, porque a gente tem um compromisso muito grande com nossos clientes. Para abrir aos domingos, o custo vai aumentar muito e a gente tem que passar isso para o preço dos produtos. Enquanto isso, o consumidor não consegue suportar esse aumento. Nós temos mais um ano pela frente, essa decisão não é uma coisa engessada e pode mudar", completa. 

Decreto

O reconhecimento dos supermercados como atividade essencial foi feito por um decreto assinado pelo presidente da República, Michel Temer.

Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, a mudança da norma atende a uma solicitação feita no ano passado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e é um pleito antigo do setor varejista.

Para o ministério, a alteração na legislação melhora o ambiente de negócios, dá mais competitividade ao segmento, permite o crescimento das empresas e, consequentemente, a geração de emprego.