Sequestrador do irmão de Zezé Di Camargo e Luciano é morto em confronto com a Polícia Militar

Entretenimento

Sequestrador do irmão de Zezé Di Camargo e Luciano é morto em confronto com a Polícia Militar

Além do sequestro de Wellington, ele já tinha sido condenado a mais de 108 anos de prisão por crimes como roubo e homicídio

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória


Foto: Reprodução Instagram

Ozélio de Oliveira, que foi condenado pelo sequestro de Wellington Camargo, irmão da dupla Zezé Di Camargo e Luciano, morreu em um confronto com a Polícia Militar de Curitiba, no Paraná, na madrugada do último sábado, dia 9.

Segundo informações do G1, Ozélio e mais quatro homens eram suspeitos de planejarem o sequestro de um empresário e foram localizados em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, em dois carros diferentes, após um trabalho de inteligência dos oficiais. Houve perseguição e confronto, onde todos os suspeitos foram mortos pela polícia.

Agora, o caso está sendo investigado pela Polícia Civil. De acordo com o tenente Cruz, nenhum policial foi ferido durante a ação.

- "Eles vieram de São Paulo, eram faccionados, do crime organizado, e estavam envolvidos com situações criminosa", explicou o tenente.

Ozélio de Oliveira também era conhecido como Sumô. Além do sequestro de Wellington, ele já tinha sido condenado a mais de 108 anos de prisão por crimes como roubo e homicídio. Em setembro de 2018, ele fugiu da Penitenciária Estadual de Piraquara, também em Curitiba, junto com mais 28 presos. Na ocasião, criminosos fortemente armados explodiram um muro da prisão e resgataram os detentos.

O sequestro de Wellington aconteceu em 1998. O primeiro contato entre os bandidos e a família Camargo foi feito cinco dias após o rapto. Na madrugada do dia 13 de março de 1999, os sequestradores enviaram um pedaço da orelha de Wellington e um bilhete à uma emissora de televisão, para pressionar a família a pagar o resgate.

No dia 20 de março, foi pago um resgate de 300 mil dólares. No dia seguinte, Wellington foi deixado dentro de um buraco a 150 metros de uma estrada vicinal, entre Goiânia e Guapó, na Região Metropolitana. Ele conseguiu sair do matagal sozinho e foi encontrado por dois motociclistas, que o reconheceram.