• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Brasileiros acordaram cedo para ver Charles e Diana

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Brasileiros acordaram cedo para ver Charles e Diana

A Telerj, empresa que operava serviços de telefonia no Estado do Rio de Janeiro, recebeu quase dois mil pedidos de assinantes no seu Serviço de Despertador, para serem acordados entre 5h15 e 6 horas

Enquanto o Castelo de Windsor se organiza para receber cerca de 600 convidados na celebração do casamento do príncipe Harry com a atriz americana Meghan Markle, neste sábado, 19, milhares de pessoas aguardam ansiosas para assistir ao evento que será transmitido em tempo real.

Mas, se hoje a transmissão de um casamento da realeza inglesa parece uma tradição, não era até 1981, quando o herdeiro do trono inglês, príncipe Charles e a carismática professora lady Diana Spencer, pais de Harry, disseram "sim" diante dos 3.500 convidados e cerca de 750 milhões de espectadores por todo globo.

No dia 29 de julho de 1981, os brasileiros acordaram cedo, a transmissão começou por volta das 5h30 e ligaram seus televisores para assistir ao casamento do século, o primeiro a ser transmitido ao vivo para todo o globo. A Telerj, empresa que operava serviços de telefonia no Estado do Rio de Janeiro, recebeu quase dois mil pedidos de assinantes no seu Serviço de Despertador, para serem acordados entre 5h15 e 6 horas para não perderem a transmissão do grande evento.

Os sutilíssimos toques do príncipe Charles no braço de lady Diana para conter um certo arroubo emocional da noiva, os sussurros trocados entre eles a dama de honra chupando o dedinho, todo o lado humano da cerimônia pôde ser presenciado pela fantástica audiência mundial da transmissão, com riqueza de detalhes e um diáfano tempero de bom humor na escolha das imagens, tudo pôde ser acompanhado pela TV e lido no jornal do seguinte. A luxuosa cerimônia foi realizada na catedral St.Paul, em Londres. Elegante, Lady Di vestiu um icônico modelo de mangas bufantes, com babados e uma cauda em seda de sete metros e meio de comprimento, assinado pelos estilistas David Emanuel e Isabel Emanuel. Calcula-se que a família real inglesa tenha gasto US$ 49 milhões na celebração.

Cercadas por um imenso frenesi midiático, as bodas de Charles e Diana foram um marco na relação da monarquia inglesa com o público. Desde o noivado, a vida do casal vinha despertando interesse do público. Com a chegada do casamento, o tema ganhou destaque nos noticiários dos jornais, revistas, rádio e televisão. Até peças de publicidade usavam Charles e Diana como personagens.

No dia da cerimônia o jornal O Estado de S. Paulo publicou uma entrevista com os noivos, que disseram esperar serem "muito felizes", e fazer todo o possível para conciliar as obrigações da vida oficial com "uma serena vida familiar."