• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Show do Teatro Mágico encerra 7ª Bienal Rubem Braga

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Show do Teatro Mágico encerra 7ª Bienal Rubem Braga

Ao longo do dia a agenda também contou com diversos atrativos, como lançamentos de livros e mesas de debates

Com o espaço do Palco Sérgio Sampaio lotado, o show do Teatro Mágico encerrou, no fim da tarde deste domingo (20), a programação da 7ª Bienal Rubem Braga em Cachoeiro de Itapemirim.

Promovida pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Semcult), a feira aconteceu na Praça de Fátima, no centro da cidade, desde a última terça-feira (15).

Ao longo do dia a agenda contou, também, com diversos atrativos, como lançamentos de livros, mesas de debates, oficinas artísticas e contação de histórias e atividades para o público infantil.

Uma das atividades de destaque ocorreu na Sala Rubem Braga, onde a escritora mineira Cristina Agostinho lançou a segunda edição do livro “Luz del Fuego - a bailarina do povo”, biografia de uma das mais ilustres personalidades nascidas em Cachoeiro.

Além de dar autógrafos, a autora conversou com o público presente a respeito do processo de produção da primeira edição da obra, há cerca de 30 anos.

“Minha grande vantagem foi ter colhido nas fontes mais limpas e iniciais”, disse ela, que revelou ter sido convidada a escrever a biografia por Eunice Vivácqua, uma das irmãs de Dora (nome verdadeiro de Luz).

Também sobre del Fuego, houve exibição do curta “Divina Luz”, seguida de bate-papo com o diretor do filme, Ricardo Salles de Sá.

Conferência ambiental

Outro evento do último dia da Bienal foi a II Conferência Ambiental Rubem Braga: Gestão Verde, no auditório Marco Antonio de Carvalho, que teve a presença especial do geógrafo Mario Mantovani, um dos ícones da defesa ambiental no país.

Sobre o tema, conversaram com ele Mário Louzada e Tiago Leal, ambos com experiência no setor ambiental no âmbito da gestão pública.

“Precisamos cada vez mais de pessoas na política com perspectivas ambientais. E é preciso preparar os espaços institucionais para que tratem seriamente dessa questão”, pontuou Mantovani.