• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Brasil terá prêmio musical dedicado exclusivamente às mulheres

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Brasil terá prêmio musical dedicado exclusivamente às mulheres

Com o debate constante sobre empoderamento feminino na mídia e redes sociais, as mulheres precisavam ter esse reconhecimento como profissionais de um mercado ainda dominado por homens

Pela primeira vez na história, o Brasil terá uma premiação musical dedicada exclusivamente às mulheres. Idealizado pela Vevo em parceria com Claudia Assef e Monique Dardenne, o Womens Music Event (WME) será realizado em 28 de novembro na boate The Week, em São Paulo.

Com apresentação de Preta Gil e Karol Conká, a ideia do projeto é reconhecer o papel feminino na música nacional. Segundo Claudia, o momento não poderia ser mais propício. Com o debate constante sobre empoderamento feminino na mídia e redes sociais, as mulheres precisavam ter esse reconhecimento como profissionais de um mercado ainda dominado por homens.

— Quase não há mulheres em papel de alto escalão na indústria e nem mesmo nas áreas técnicas. Fora que, se pegarmos a lista dos mais tocados, a maioria dos artistas são do sexo masculino. O prêmio tem como meta valorizar não só as artistas, mas também homenagear quem se destaca em um ambiente ainda tão pouco aberto às profissionais do sexo feminino.

Estrutura

O prêmio tem votação popular para as categorias artístiscas e um júri técnico formado por 124 mulheres que escolherão as homenageadas nas categorias técnicas.

Uma particularidade do WME é incluir entre as indicadas não só mulheres, mas também as trans. Claudia Assef explica que a decisão ajuda a diminuir o preconeito.

Dessa maneira, nomes como Pabllo Vittar e Linn da Quebrada concorrem com Anitta, Simone e Simaria, Marília Mendonça e Karol Conká de igual para igual.

Além disso, a lista de indicadas mostra como o WME pretende promover artistas underground da mesma maneira que nomes de destaque do mainstream. Fátima Pisarra, CEO da Vevo Brasil, garante que isso foi a maneira mais democrática de criar um evento com esse conceito.

— No Brasil, as premiações ou focam só nos grandes nomes do mercado ou só no nicho. Nós misturamos essas duas vertentes. Quem foi indicado, foi por merecimento e e relevância.

Essa mistura pode ser conferida, por exemplo, na lista de indicadas a melhor cantora, que reúne Anitta, Elza Soares, Juçara Marçal, Marília Mendonça e Karol Conká. Mesma miscelânia pode ser observada na categoria melhor música, que trás Fica (Annavitória), Você Não Presta (Mallu Magalhães), Paradinha (Anitta), Lalá (Karol Conká) e Loka (Simone e Simaria).

— Nos Estados Unidos, vários nichos de minoria são celebrados e os negros e mulheres têm suas próprias premiações. Esperamos que se torne comum por aqui esse tipo de homenagem. É a nossa meta.

A cerimônia de premiação será transmitida pela Vevo na noite de 28 de novembro.