• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Kéfera perde processo e é condenada a pagar 25 mil reais a taxista

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Kéfera perde processo e é condenada a pagar 25 mil reais a taxista

A decisão foi tomada pela TJ do Estado de SP e a youtuber foi acusada de causar dano material e moral, além de fazer uso indevido de sua imagem

A youtuber e atriz Kéfera foi condenada a pagar 25 mil reais a taxista, por ter compartilhado vídeos de uma briga entre os dois, que aconteceu em 2015. A decisão foi tomada pela Tribunal da Justiça do Estado de São Paulo, no dia 31 de outubro e a youtuber foi acusada de causar dano material e moral, além de fazer uso indevido de sua imagem.

A confusão teve início quando, em 2015, Kéfera começou a comer dentro de um táxi. O motorista pediu para ela fechar seu pote de comida, alegando que o cheiro poderia incomodar outros passageiros, mas a youtuber teria se recusado a parar de comer, o que acabou gerando um bate boca entre os dois.

Kéfera, que possui mais de dez milhões de seguidores em seu canal, divulgou um vídeo com o nome, número de telefone e placa do motorista, sugerindo que outras pessoas o denunciassem, até pressionando para que ele deixasse a profissão. O material logo foi tirado do ar pela youtuber, mas ele ainda pode ser encontrado na internet.

- Nunca passei por isso com um taxista. Ele foi muito escroto. [...] Ele ficou nervoso comigo, porque eu pedi para ele parar de ir rápido e acelerar, para evitar um acidente de trânsito. Ele falou que dirigia o carro dele jeito que ele queria, diz ela no vídeo, gravado no episódio.

De acordo com a sentença, o motorista recebeu mais de cinco mil ameaças após o episódio polêmico e Kéfera teria usado de sua influência digital para se vingar do taxista.

Ao BuzzFeed News, Kéfara alegou ter sido vítima de machismo por parte do motorista:

- Ele viria para cima de mim? Lógico que não. Fez porque eu era mulher. Estava de shorts, ficou me chamando de vagabunda. Foi extremamente machista e me colocou em perigo. [...] Ele foi muito errado, me largou no meio da Marginal [em São Paulo]. Me xingou de vagabunda, me mandou à m***, foi para cima de mim, tirou o cinto, abriu a porta e me fez sair do carro à força. A decisão [judicial] está completamente equivocada.

A youtuber ainda disse que o taxista divulgou o seu endereço, o que também reconhece como uma ameaça, pois passou a ser perseguida por fãs:

- Ficavam me ligando, interfonando. Eu recebia telefonema à meia-noite. Houve entrega de comidas à meia-noite, de coisas que eu não pedia. Eu não podia passear na rua.