• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Socialite que ofendeu filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank é de Presidente Kennedy

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Socialite que ofendeu filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank é de Presidente Kennedy

Dayane Alcântara Couto de Andrade, a ‘Day McCarthy’, nasceu no interior do município e, ainda criança, se mudou para a sede, onde trabalhou anos como babá. A mãe e a irmã ainda residem na cidade

A socialite Day McCarthy, que se define como escritora e mora no Canadá, e no último fim de semana teve um vídeo viralizado na internet por ofender a filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank de forma preconceituosa, é de Presidente Kennedy, no sul do Espírito Santo. Dayane Alcântara Couto de Andrade nasceu na localidade de Cancelas, no interior do município.

A informação foi confirmada por um amigo da socialite, o professor da rede pública, Leandro Risso, que mora em Presidente Kennedy. “Convivi com ela por 15 anos. Ela sempre foi uma pessoa revoltada, mas o que fez é ridículo e ninguém aprova”, conta. Segundo ele, a mãe e a irmã de Dayane moram no interior do município. “Ela não ajuda a família. Depois que foi embora, nunca mais voltou”, continua.

Dayane é conhecida pelo glamour e por estar rodeada de pessoas da alta influência, mas isso não acontecia quando morava no Espírito Santo. “Dayane nasceu no interior e quando tinha oito anos, o pai abandonou a família. Com nove, se mudou para a sede do município e logo começou a trabalhar de babá de dois filhos de uma amiga que trabalhava comigo em um salão”, conta.

“Quando tinha 18 anos, o pai dela, que era um oficial do Exército faleceu, e deixou uma herança para a família. Com o dinheiro, a mãe construiu uma casa e morava com as filhas. Nessa época, a Dayane já era revoltada e muito rebelde. Parou de estudar, chegou a agredir a mãe, e depois de um tempo exigiu sua parte na herança e foi estudar em uma escola particular em Cachoeiro”, continua Risso.

Leia também:
° Anitta se mostra indignada com acusação feita por socialite

Na manhã desta segunda-feira (27), o ator Bruno Gagliasso foi à Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio, fazer o registro na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI). Ela responderá por injúria racial, difamação e injúria. Ofender alguém por causa da cor da pele é crime de injúria racial, e quem o comete está sujeito a prisão de um a três anos.

Mudança para os EUA

De acordo com Leandro, com 19 anos, Dayane se envolveu com um músico integrante da banda da dupla Zezé Di Camargo & Luciano durante um show em Presidente Kennedy, e se mudou para o Rio de Janeiro. “Depois disso, logo ela foi para os Estados Unidos. Ela entrou ilegal lá. A mãe falava que era trabalhava de babá e balconista, mas sempre desconfiamos. Depois de um tempo lá, ela conheceu um empresário do ramo de distribuição de carne e virou socialite após se separar. Quando casou, ela conseguiu a nacionalidade americana para continuar no país”, explica.

“Há uns três anos mantivemos contato. Ela me mandou dois perfumes e uma bolsa, mas dias depois ela protagonizou aquele episódio com o Roberto Justus, e a Justiça bloqueou o acesso dela na rede social, onde conversávamos e perdemos o contato. Tudo que ela fez até foi foi premeditado. Ela fez várias plásticas e em 2014 veio ao Brasil para um show da Madonna. Uma vez ela até postou foto de Presidente Kennedy dizendo que estava na cidade, mas era mentira. Ela nunca mais voltou aqui”, completa Leandro.

A reportagem do Folha Vitória tentou contato com Dayane Alcântara Couto de Andrade, mas não teve êxito.