• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Corinthians e São Paulo põem fraquezas à prova na semifinal do Paulistão

  • COMPARTILHE
Esportes

Corinthians e São Paulo põem fraquezas à prova na semifinal do Paulistão

Jogar como na partida de ida das semifinais do Campeonato Paulista é um risco para Corinthians e São Paulo, que fazem o embate decisivo pelo lugar na final do torneio às 21h45 desta quarta-feira na Arena Corinthians, em Itaquera. Após um primeiro clássico fraco tecnicamente, as equipes de Fábio Carille e Diego Aguirre precisam superar suas próprias fragilidades para avançar no Estadual.

A missão mais complicada parece ser a do Corinthians. Precisa sair para o ataque, após a derrota na primeira partida por 1 a 0, e mais uma vez Carille precisará quebrar a cabeça para conseguir escalar o time. Jadson continua fora, machucado. Balbuena e Romero estavam com a seleção do Paraguai e Fagner com a do Brasil. O trio deve voltar nesta quarta e será avaliado para saber se tem condições, mas a comissão técnica vê a chance de aproveitá-los como quase impossível.

Por outro lado, Clayson e Marquinhos Gabriel estão de volta, dando novas opções para Carille, que viu seu Corinthians se omitir ofensivamente na partida do Morumbi.

O treinador descarta repetir a escalação com três volantes e acredita que o São Paulo não deve mudar a postura se levar gol. "Acredito que mesmo se nós fizermos um gol no início, a proposta do São Paulo não vai mudar. Se sou o técnico do São Paulo e tomo 1 a 0, mantenho a mesma ideia porque estou numa igualdade fora de casa."

O que os corintianos apontam como um diferencial em relação ao jogo passado é o fato de o confronto ser na arena, onde o time contará com a força da torcida - mais de 39 mil ingressos foram vendidos antecipadamente - e o retrospecto também é bem positivo. Em 126 jogos foram 86 vitórias, 30 empates e apenas dez derrotas.

O São Paulo também continua desfalcado. Valdívia, Hudson e Anderson Martins permanecem machucados. Cueva, após defender a seleção peruana, deve ficar fora. Rodrigo Caio está relacionado, mas pode começar no banco. Além de valorizar a posse de bola na casa do rival, o time precisará mostrar criatividade no meio-campo, uma das dificuldades do elenco no início de ano, para tentar pelo menos o empate.

Apesar da vantagem, o elenco garante que a equipe não jogará pela igualdade. Uma orientação de Aguirre. "Nossa equipe tem de entrar lá com a mesma determinação da partida de ida. Temos uma vantagem, mas é mínima. Precisamos ter atenção total para conquistar a vaga", avalia o volante Jucilei.

"O Aguirre gosta de uma postura valente do time, e é justamente desta maneira que queremos defender a nossa permanência no campeonato", analisa Petros, que pede atenção dobrada por conhecer bem o adversário - o volante defendeu o Corinthians entre 2014 e 2015. "Sei como é jogar lá, uma pressão grande, campo rápido e por isso temos que brigar por cada bola", disse.