• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Criador da Fórmula E torce pela vinda de Massa: 'Vou ajudar no que puder'

  • COMPARTILHE
Esportes

Criador da Fórmula E torce pela vinda de Massa: 'Vou ajudar no que puder'

Mesmo antes de se despedir da Fórmula 1, em 2017, Massa indicava a categoria de carros elétricos como o destino preferido

O destino possível de Felipe Massa no automobilismo não vê a hora de contar com o brasileiro no grid. O criador e diretor executivo da Fórmula E, o espanhol Alejandro Agag, disse nesta sexta-feira no Uruguai que vai trabalhar para ter o ex-piloto da Fórmula 1 na competição, objetivo possível de se concretizar em 2020, quando mais vagas devem se abrir nas equipes da categoria.

Mesmo antes de se despedir da Fórmula 1, em 2017, Massa indicava a categoria de carros elétricos como o destino preferido. Em julho do ano passado, a conta da Fórmula E no Twitter chegou a questionar o brasileiro sobre quando ele ingressaria na competição. O piloto paulista de 36 anos, por enquanto, não anunciou se vai disputar algum campeonato em 2018.

"Seria muito positivo ter Massa aqui. Além de grande piloto, é uma grande pessoa. Vou ajudar em tudo o que puder. Pilotos são decisões das equipes e sei que Massa quer estar em uma equipe vencedora", disse Agag em entrevista exclusiva ao Estado. No último fim de semana o piloto brasileiro correu pela primeira vez na Stock Car, ao participar como convidado da Corrida de Duplas, em Interlagos.

O obstáculo para Massa é o calendário da Fórmula E começar no meio do ano. Com isso, o brasileiro, que se despediu da Fórmula 1 em novembro, não teve como pleitear vaga na temporada atual, a 2017/2018. A oportunidade possivelmente nem seria para o campeonato seguinte, mas somente para o próximo, com início em 2019 e conclusão em meados de 2020. Até lá, a categoria ganhará duas novas equipes e passará a ter 24 pilotos.

Para Agag, a Fórmula E tem atraído a atenção de Massa por ser bastante competitiva. "Qualquer um pode ganhar, então é imprevisível. O piloto conta muito na Fórmula E. Todos querem competir em alto nível. Como já temos grandes pilotos, é natural que outros também queiram vir", afirmou.

A categoria conta com oito pilotos com passagens pela Fórmula 1, como os brasileiros Nelsinho Piquet e Lucas di Grassi, o alemão Nick Heidfeld, o francês Jean-Eric Vergne, o suíço Sebastien Buemi, entre outros.