• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Técnico do Botafogo ataca arbitragem após fraturas de João Paulo

  • COMPARTILHE
Esportes

Técnico do Botafogo ataca arbitragem após fraturas de João Paulo

O Botafogo deixou o gramado do Engenhão, neste domingo, classificado para as semifinais da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Mas foi a irritação que deu o tom da entrevista coletiva do técnico Alberto Valentim. E não foi por causa da derrota para o Vasco por 3 a 2. O treinador estava indignado com a punição branda aplicada pela arbitragem ao atacante Rildo, que causou duas fraturas na perna direita de João Paulo.

Numa entrada violenta, jogador do Vasco fraturou a tíbia e a fíbula do volante botafoguense, que precisou deixar o gramado logo aos três minutos de jogo. O jogador foi operado ainda na noite de domingo e passa bem. Ainda não há previsão de retorno para os gramados.

"Não é a primeira vez que o Botafogo é prejudicado escandalosamente no começo de jogo. A reação de todos os jogadores em campo, todos sabiam que tinha sido grave. Imediatamente falei ao quarto árbitro, mandei aquecer outro jogador. Foi entrada muito forte", atacou Valentim, que criticou a punição a Rildo com apenas o cartão amarelo.

"Foram duas fraturas, gente, não uma só. E aí? Quarto árbitro veio do intervalo e falou: 'É realmente você tinha razão'. São quatro árbitros auxiliando. Se esse cidadão não viu, como ninguém consegue ajudá-lo? Não só em relação à parte técnica, tática, João Paulo é líder, jogador exemplo, um dos mais queridos pela torcida", lamentou.

Para Valentim, a perda do volante será "enorme". Não só para mim, mas para o Botafogo. É revoltante. O Botafogo perdeu um jogador por no mínimo seis meses. Não pode ter uma qualidade dessa de arbitragem. Quatro para ajudar, ninguém viu? Não é possível, está difícil. Uma perda enorme, com um erro de arbitragem do tamanho dessa perda", declarou.

Na avaliação do treinador, a derrota do Botafogo se deveu aos erros de arbitragem. "Hoje não vencemos por erro de arbitragem. Com um jogador a mais talvez venceríamos. Perda muito grande. Vamos ser fortes até pelo João. Futebol não dá oportunidade para remoer derrotas nem comemorar muito vitórias. A gente precisa reagir física, técnica e emocionalmente."

Após a perda, Valentim terá dois dias para definir o substituto de João Paulo. Isso porque o Botafogo fará seu jogo da semifinal da Taça Rio na quarta. E o adversário será justamente o Vasco, e novamente no Engenhão. "Vamos ver condição física de todos os atletas, depois vamos pensar em quem entrar. Vou quebrar a cabeça. Quando se tem jogo perto do meio de semana, sabe que precisa recuperar fisicamente. Vou quebrando a cabeça, mas para eu formar esses 11 vou esperar que o departamento médico libere os atletas."

FEDERAÇÃO DE FUTEBOL - Em reunião horas depois do clássico, o Grupo de Gerenciamento de Problemas da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) fez uma avaliação da atuação do árbitro Leonardo Garcia Cavaleiro, responsável pelo clássico disputado no Engenhão.

Na avaliação do grupo, houve erro do juiz ao não aplicar o cartão vermelho a Rildo. No entanto, o grupo elogiou o desempenho do árbitro no restante do jogo e evitou aplicar punições. "O GGP entende pelo não afastamento do árbitro, levando em consideração sua atuação durante os oitenta e oito minutos da partida, que fora disputada de forma leal pelos atletas de ambas as equipes", registrou o grupo, em comunicado.

"Lamentamos a fatalidade ocorrida com o atleta do Botafogo F.R., no entanto, entendemos que a fratura do atleta não seja responsabilidade do árbitro uma vez que a disputa pela bola entre dois jogadores adversários."