• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Jogadores do Palmeiras criticam arbitragem novamente: 'Sempre contra a gente'

  • COMPARTILHE
Esportes

Jogadores do Palmeiras criticam arbitragem novamente: 'Sempre contra a gente'

O empate em 0 a 0 contra a Chapecoense neste domingo, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro, deixou os jogadores do Palmeiras furiosos por um erro de arbitragem. O mineiro Igor Junio Benevenuto anulou por impedimento um gol legal do zagueiro Antônio Carlos, no último lance, e fez o time protestar bastante e lembrar do incidente na final do Campeonato Paulista contra o Corinthians.

O atacante e capitão Dudu foi um dos mais exaltados nas entrevistas depois do jogo. "Rodadas atrás falavam que tinha esquema para a gente. Agora vamos ver o que vão falar. Não adianta falar que é 'chororô', não é. Erram contra a gente dentro do nosso estádio sempre", afirmou o jogador. Na partida, o time teve um outro gol anulado, feito pelo colombiano Borja, e uma reclamação de pênalti em Felipe Melo.

O meia Moisés também criticou a arbitragem e ainda atacou indiretamente o Corinthians. O clube foi um dos que votou contra no ano passado à adoção do árbitro de vídeo em partidas do Brasileirão deste ano e é alvo de reclamações palmeirenses pela final do Paulistão. Naquele jogo, o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza marcou um pênalti e depois cancelou, em decisão que levantou suspeita de interferência externa.

"Enquanto não tiver árbitro de vídeo, esses lances pequenos vão acabar gerando dúvida. Mas tem clubes que não aceitam ou não quiseram que tivesse o árbitro. Talvez porque já tenham de alguma outra forma", afirmou Moisés. Questionado sobre o assunto, o técnico Roger Machado disse que preferiria não comentar sobre arbitragem.

O autor do gol anulado também demonstrou estar inconformado. "Errar, todo mundo erra. Mas está constante aqui dentro de casa, no Allianz Parque. Isso é chato. A gente planeja e 'martela' o adversário, quando faz o gol legal, ele não vale", criticou Antônio Carlos.