• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após 'fugir de casa', Adysson vai de graça ao estádio Allianz Parque por um ano

  • COMPARTILHE
Esportes

Após 'fugir de casa', Adysson vai de graça ao estádio Allianz Parque por um ano

Adysson Congo não imaginava, mas a "fuga" de casa para ver o Palmeiras no estádio do Pacaembu pela primeira vez em seus 8 anos só rendeu coisas boas a ele. Após a reportagem do Estado, ele recebeu o convite de Dudu para entrar em campo antes da partida contra a Chapecoense. Além disso, foi presenteado com uma camisa e vai viver seu grande sonho: receber o Passaporte Allianz Parque, com um acompanhante, para todos os jogos do Palmeiras na arena até maio de 2019 (vale também para shows). O valor do presente é de R$ 2.988,00 no setor Gol Sul (valor por assento). "Para mim, é fora do normal ver meu filho realizando o sonho dele", disse a mãe, Silmara Aparecida Congo.

O garoto que mora em uma ocupação na Luz, na região central de São Paulo, foi convidado para fazer o tour no estádio no Allianz Parque nesta quarta-feira. Depois de visitar toda a estrutura da arena que visitou no último domingo, Adysson vai conhecer o ex-jogador César Sampaio, que se solidarizou com a história do menino. O encontro com o craque será uma surpresa para ele.

Assim como Adysson, César Sampaio também escolheu o Palmeiras - apesar da influência da família corintiana - e se tornou um dos principais ídolos do time alviverde. O ex-jogador e atual comentarista esportivo tem uma escolinha de futebol em Diadema (SP) e pode ajudar o palmeirense a realizar o sonho de ser um jogador de futebol.

César Sampaio não foi o único que se comoveu com as condições de Adysson. O autônomo Sérgio Montanari, que buscou o garoto e o irmão para levá-los ao estádio palmeirense, está organizando em grupos de Whatsapp a doação de cestas básicas para a família.

Outros torcedores, que não quiseram se identificar, estão realizando uma vaquinha para dar a Silmara, mãe do menino, uma televisão nova. O aparelho da mulher, que vende roupas femininas em uma loja popular e faz faxina para complementar a renda, está com o visor quebrado e ela não pode arcar com o conserto.

Único palmeirense em uma família corintiana, o menino pediu dinheiro às pessoas no metrô para chegar ao estádio do Pacaembu, para acompanhar a partida entre Palmeiras e Internacional - a equipe da casa venceu por 1 a 0.

Adysson foi "descoberto" pelo funcionário público André Martins, de 25 anos. O rapaz, que já havia visto o garoto pedindo dinheiro na estação Tatuapé do metrô, notou o menino perdido nos arredores do estádio do Pacaembu. Pagou um salgado e presenteou o torcedor mirim com uma camisa do Palmeiras.

Sem dinheiro, Adysson, que antes de sair de casa disse para a mãe que iria brincar em uma praça próxima à sua casa, aproveitou o fato de haver gratuidade no Pacaembu e venceu as catracas do estádio. Ele se misturou em meio às famílias para poder ver o time pelo qual torce ao vivo pela primeira vez.