• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Criança autista encontra no remo uma nova maneira de superar limites

  • COMPARTILHE
Esportes

Criança autista encontra no remo uma nova maneira de superar limites

Eduardo tem encontrado no esporte uma nova maneira de vencer a dificuldade na comunicação e no convívio social

Andressa Balbi

Redação Folha Vitória
Com o transtorno do espectro autista, Eduardo Kaizer supera suas dificuldades.

Para quem acredita que o autismo é um transtorno que limita uma criança disposta a enfrentar dificuldades, se engana! O morador de Vila Velha, Eduardo Kaizer, que tem 12 anos de idade, vem provando que o autismo pode ser superado.

Diagnosticado com o transtorno do espectro autista aos 6 anos, Eduardo tem encontrado no remo uma nova maneira de vencer a dificuldade na comunicação e no convívio social. De acordo com a mãe, Jociléia Kaizer, a iniciativa de buscar ajuda no esporte ocorreu por indicação do neuropediatra Thiago Gusmão que, até o momento, realiza o tratamento do jovem.

Segundo ela, após tentativas frustrantes em outros esportes, o especialista indicou que a criança fosse matriculada em um projeto chamado “Remando para Inclusão”, que realiza aulas em um espaço cedido pelo Clube Álvares Cabral, em Vitória. "Após Eduardo descobrir que poderia remar, percebi melhoras nos estudos, na interação com os amigos e familiares e principalmente na conquista da perda de peso, o que era minha grande preocupação", contou a mãe.

Eduardo Kaizer adorou a prática do remo.

O educador físico Diones Souza Gomes, que trabalha no projeto há sete meses, conta que o remo é um esporte que exige atenção e disciplina. Quanto a Eduardo, Dione afirma que a evolução do pequeno atleta é significativa e garante que, apesar das dificuldades ocasionadas pelo transtorno do espectro autista, Eduardo já venceu o medo do mar e a barreira de interagir com as pessoas. “Como professor desejo que ele tenha autonomia na vida e que consiga sempre vencer as etapas sem medo”, disse.

Dione conta que Eduardo é um aluno frequente e faz questão de participar de todas as aulas do programa. Toda vez que perguntam sobre o remo, o jovem atleta fala que quer permanecer no esporte, mesmo quando esta etapa do projeto finalizar.