• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cruzeirenses criticam maratona de jogos e estipulam meta até a Copa do Mundo

  • COMPARTILHE
Esportes

Cruzeirenses criticam maratona de jogos e estipulam meta até a Copa do Mundo

Dois dias depois de vencer o Racing por 2 a 1 na Libertadores, o Cruzeiro mudou o foco e trabalhou normalmente nesta quinta-feira visando o duelo diante do Santos, domingo, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. Em duas semanas e meia, a equipe realizará uma maratona de seis partidas pela competição, até a pausa para a Copa do Mundo, o que intensificará o desgaste já sentido pelos jogadores.

"A cada ano a gente tem se cuidado mais por causa de todos esses jogos. Antigamente, jogávamos 55, 60 jogos no ano. Hoje, são 82 se você chegar às finais de todas as competições. Aumentou o número de jogos, então, o jogador tem que se cuidar mais, cuidar da parte física, fazer uma recuperação melhor tanto no clube quanto em casa, se alimentando bem e tendo boas noites de sono", comentou o volante Henrique.

O meia Robinho também apontou a dificuldade de lidar com esta maratona. "Fisicamente não é simples. Sabemos que é complicado e que a cada dia que passa os jogos estão mais desgastantes. Vamos tentar o máximo possível chegar nas três competições, mesmo sabendo que será difícil demais. Temos um elenco muito bom. Sabemos da dificuldade, mas vamos tentar."

Independente do cansaço, o Cruzeiro estabeleceu uma meta para as próximas semanas: conquistar o máximo possível de pontos no Brasileirão para se aproximar dos líderes. Para os jogadores, a classificação às oitavas da Libertadores na ponta do grupo dará tranquilidade para a equipe buscar este objetivo.

"Nosso objetivo é terminar brigando na parte de cima da tabela. Sabemos a dificuldade que é recuperar os pontos lá na frente. O objetivo é terminar próximo dos primeiros, é a meta traçada para agora. As metas que foram traçadas até o fim da primeira fase da Libertadores foram alcançadas e sabemos da dificuldade que é correr atrás depois", disse Henrique.

Nesta quinta, o técnico Mano Menezes comandou um trabalho técnico em campo reduzido na Toca da Raposa II, sem indicar a escalação para encarar o Santos. O próprio Henrique, Dedé e Sassá foram poupados e ficaram na parte interna do CT, mas não devem ser problemas para o fim de semana.