• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cruzeiro bate o Racing no Mineirão e avança como líder da chave na Libertadores

  • COMPARTILHE
Esportes

Cruzeiro bate o Racing no Mineirão e avança como líder da chave na Libertadores

O Cruzeiro derrotou o Racing nesta terça-feira, no Mineirão, e garantiu a primeira colocação do Grupo E na Libertadores. A equipe contou com um início fulminante, marcou duas vezes nos primeiros dez minutos e derrotou o rival argentino por 2 a 1 para avançar às oitavas de final como campeã da chave. Thiago Neves e Lucas Silva marcaram para o time celeste. Centurión descontou.

O resultado levou o Cruzeiro aos mesmos 11 pontos do Racing, mas com vantagem no saldo de gols. A equipe garantiu o direito de decidir as oitavas de final em casa e, de quebra, devolveu a derrota por 4 a 2 sofrida diante do adversário argentino na estreia da Libertadores, fora de casa. Agora, o foco volta a ser o Brasileirão, pelo qual encara o Santos no domingo, no Pacaembu.

Ao longo dos últimos dias, a escalação de Thiago Neves era a principal dúvida no Cruzeiro. Recuperado de problema na panturrilha, o meia revelou ter pedido para jogar, apesar de ele próprio admitir o medo de agravar a lesão. Mesmo assim, foi a campo e fez a diferença logo no início.

Aos dois minutos, Sassá recebeu de Robinho pela direita com muita liberdade e cruzou para o meio. Henrique não conseguiu finalizar, mas Thiago Neves aproveitou a sobra para fuzilar. Apenas dois minutos depois, o meia apareceu mais uma vez ao dar enfiada perfeita para Sassá, que saiu completamente sozinho. Na tentativa de tocar sobre o goleiro, pegou muito mal e jogou longe do gol.

O início do Cruzeiro era fulminante e o Racing não conseguia respirar, fruto da marcação por pressão dos donos da casa. E ela deu certo novamente aos 10 minutos. Lucas silva aproveitou saída errada de Solari, roubou e ainda cortou o próprio meio-campista antes de encher o pé de fora da área, no canto direito de Musso, que não alcançou.

Somente com a vantagem o Cruzeiro diminuiu o ritmo e permitiu que o Racing crescesse. Solari teve bom momento, mas Egídio travou. Até que, aos 27 minutos, Pillud tocou para Solari, que cruzou. Dedé conseguiu travar, mas a sobra ficou com Centurión, completamente livre. O meia ainda emendou bonito, de primeira, para diminuir.

O gol assustou o Cruzeiro, que exibiu muita dificuldade para frear o ataque adversário. O empate quase veio aos 39, quando Centurión dividiu no meio de campo, ficou com a sobra e lançou Lautaro Martínez, que tocou por cima de Fábio, na trave. Na sequência, Donatti bateu de longe, rente ao gol de Fábio.

Mesmo assim, as últimas duas chances do primeiro tempo foram celestes. Aos 42, Sassá marcou após finalização ruim de Arrascaeta, mas estava impedido. Dois minutos depois, o uruguaio perdeu chance inacreditável. Ele recebeu lançamento longo completamente sozinho, avançou desde a intermediária sem qualquer marcação e, ao tentar driblar Musso, viu o goleiro ser mais esperto para ficar com a bola.

O jogo aberto visto no primeiro tempo não interessava o Cruzeiro, que tratou de diminuir o ritmo, administrar a posse e acertar a marcação na volta do intervalo. A aposta era no contra-ataque, que saiu aos 12, quando Arrascaeta arrancou e tocou para Sassá, mas o atacante se atrapalhou e facilitou o trabalho de Musso.

Em busca do empate, o Racing aos poucos foi crescendo, ganhando a posse de bola e acuando o rival. Aos 33, quase empatou. Centurión recebeu cruzamento da direita e aproveitou cochilo da defesa para aparecer sozinho, mas cabeceou mal, em cima de Fábio, que defendeu de peito. Nos minutos finais, o cansaço pesou, o Cruzeiro se estabeleceu e ainda perdeu algumas chances, mas garantiu o triunfo.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 2 X 1 RACING

CRUZEIRO - Fábio; Lucas Romero, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Arrascaeta, Robinho (Bruno Silva) e Thiago Neves (Rafael Sobis); Sassá (Raniel). Técnico: Mano Menezes.

RACING - Juan Musso; Iván Pillud, Miguel Barbieri (Orbán), Alejandro Donatti e Alexis Soto; Neri Cardozo (Mansilla), Augusto Solari (Zaracho), Diego González e Ricardo Centurión; Lisandro López e Lautaro Martínez. Técnico: Eduardo Coudet.

GOLS - Thiago Neves, aos dois, Lucas Silva, aos 10, e Centurión, aos 27 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Oscar Rojas (Fifa/Uruguai).

CARTÕES AMARELOS - Robinho, Léo (Cruzeiro); Augusto Solari, Lautaro Martínez, Miguel Barbieri, Diego González (Racing).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).