• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Justiça da Suíça não processará Platini, diz jornal francês

  • COMPARTILHE
Esportes

Justiça da Suíça não processará Platini, diz jornal francês

Em mais uma reviravolta no escândalo político no futebol internacional, o Ministério Público da Suíça afirma que não irá processar o ex-jogador e ex-dirigente Michel Platini. Ele era suspeito de ter recebido US$ 2 milhões (cerca de R$ 7,2 milhões) da Fifa, sem motivos aparentes.

Por conta das revelações de pagamentos, a Fifa o suspendeu do futebol, pena que acabou sendo confirmada pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês). Ainda assim, a suspensão acabou sendo reduzida para apenas quatro anos.

De acordo com o jornal Le Monde, o ex-jogador recebeu dos procuradores suíços uma carta, no dia 24 de maio, o comunicando do fato de que o inquérito não vai ser aberto, depois de três anos. O Ministério Público Suíça, de fato, jamais abriu um inquérito formal contra ele e apenas o ouviu como "pessoa de interesse".

O processo se referia a um pagamento feito por Joseph Blatter, então presidente da Fifa, em 2011 ao francês. Oficialmente, a transferência se referia a uma remuneração que Platini teria de ter sido beneficiado por seus trabalhos de conselheiro da Fifa entre 1998 e 2002. Blatter, por sua vez, foi suspenso por oito anos do futebol e continua sendo investigado pelo MP.

"Platini foi claramente inocentado", disse sua defesa ao jornal francês. "Há uma dupla afirmação: nesse momento, não existem provas suficientes contra ele e o processo não continuará, já que o procurador está convencido de que não existe nada contra ele", insistiu. O Ministério Público Suíço não se pronunciou nesta sexta-feira em relação ao caso.

Para a imprensa francesa, a informação do arquivamento do caso é uma "prova" de que havia um "complô" para impedir que Platini se transformasse no presidente da Fifa, nas eleições em 2015 convocadas por Blatter depois do escândalo de corrupção.

"Eles queriam me eliminar politicamente", disse Platini, nesta sexta-feira. "Minha única porta de saída era o MP suíço, já que a Fifa tinha me enterrado, me matado e me humilhado", insistiu.

Platini, agora, espera que a Fifa reveja seu processo e retire os quatro anos de suspensão que lhe foi aplicado.