• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Palmeiras sofre sem o colombiano Borja e não consegue definir um substituto

  • COMPARTILHE
Esportes

Palmeiras sofre sem o colombiano Borja e não consegue definir um substituto

A espera pela pausa no calendário do Campeonato Brasileiro para a realização da Copa do Mundo na Rússia parece ser longa para o Palmeiras. O clube tem sentido falta do principal atacante, Miguel Borja, que está em compromissos com a seleção da Colômbia e deixou no time titular um espaço vazio. A posição de centroavante não tem um substituto pronto, para a angústia da torcida.

Os dois jogos do time realizados após a saída do colombiano foram um problema. O técnico Roger Machado testou quatro atletas na função. Contra o América-MG, pela Copa do Brasil, iniciou a partida com Deyverson, substituído no intervalo para a entrada de Willian, que fez o gol do empate, resultado responsável por garantir a classificação para a próxima fase.

Na partida seguinte, também no estádio Allianz Parque, em São Paulo, o Palmeiras optou por um esquema diferente. A equipe enfrentou o Sport, pelo Brasileirão, sem centroavante fixo. Assim como feito na partida contra o São Caetano, pelo Campeonato Paulista, o meia venezuelano Guerra foi acionado, porém o time não foi bem. O jogador deu lugar a Papagaio no segundo tempo da derrota por 3 a 2, no último sábado.

O técnico manifestou preocupação com a falta de rendimento e principalmente a autoconfiança de Deyverson. O substituto imediato de Borja não marcou gols nesta temporada. Por ter atuado mal contra o América-MG, teve a saída comemorada como um gol pela torcida quando saiu para dar lugar a Willian, no intervalo. A situação fez Roger Machado prometer um trabalho para resgatar o futebol do atacante.

"O primeiro passo é tentar recuperar o Deyverson, recuperar o prestígio dele com o torcedor. O Papagaio entrou antes porque todo mundo presenciou na quarta-feira a saída do Deyverson sendo mais comemorada do que um gol. Isso tira a confiança do jogador", afirmou. Entre as ações, o técnico pensa em escalar o atleta em partidas do time como visitante, para que possa atuar sem o contato com a impaciência dos palmeirenses aos seus erros.