• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Wenger pede que o seu sucessor no Arsenal 'respeite os valores' do clube

  • COMPARTILHE
Esportes

Wenger pede que o seu sucessor no Arsenal 'respeite os valores' do clube

Em sua última entrevista coletiva antes de um jogo do Arsenal, do qual ele fará a sua despedida neste domingo, contra o Huddersfield Town, fora de casa, pelo Campeonato Inglês, após 22 anos como técnico do time londrino, Arsène Wenger exaltou nesta quinta-feira a importância de o seu futuro sucessor no cargo "respeitar os valores do clube".

O treinador francês falou isso ao ser questionado por um repórter sobre qual conselho daria ao seu substituto. "Este clube é respeitado em todo o mundo e eu gostaria que ele trouxesse as suas próprias ideias. É uma chance para os jogadores verem algo diferente. Da mesma forma, por outro lado, eu gostaria de dizer que respeite o que foi construído aqui e cuide do que as pessoas se importam também", afirmou Wenger.

Ainda não se sabe quem assumirá o lugar de Wenger, mas nomes como Massimiliano Allegri, atual técnico da Juventus, e os ex-capitães do Arsenal Mikel Arteta e Patrick

Vieira aparecem como os principais nomes especulados pela mídia britânica como favoritos para o posto que ficará em aberto.

Na última quarta-feira, Wenger amargou uma derrota por 3 a 1 para o Leicester, fora de casa, em jogo atrasado da 31ª rodada do Campeonato Inglês. Por isso, mesmo deixando o cargo em baixa após amargar uma série de decepções nas últimas temporadas, o comandante espera se despedir de forma positiva com uma vitória neste domingo.

No domingo passado, porém, ele comandou o Arsenal em uma vitória por 5 a 0 sobre o Burnley, no Emirates Stadium, em Londres, onde foi homenageado antes mesmo do apito inicial do jogo, no qual o clube distribuiu aos torcedores camisetas com a mensagem "Merci, Arsène" ("obrigado, Arsène"), em francês mesmo, em referência à nacionalidade do treinador, que entrou no estádio sob aplausos das arquibancadas.

No caso, Wenger teve exaltada a sua história vitoriosa sob o comando da equipe, com a qual conquistou três títulos ingleses, sendo um deles invicto, e ergueu sete taças da Copa da Inglaterra e outras sete da Supercopa do país.

"Vocês viram no domingo, quando eu falei na despedida que tive com os torcedores, que alguns dos fãs nem sempre concordam com minhas decisões, mas eu acho que eles respeitaram uma coisa: que eu fui honesto, leal e comprometido com os valores do clube e dei o meu melhor para o clube", lembrou o treinador, que depois enfatizou: "Eles (torcedores) queriam me dizer que 'nós concordamos com você sobre isso'. E eu gostaria que meu sucessor fizesse isso também".

FERGUSON - Também nesta quinta-feira, Wenger aproveitou a sua última entrevista coletiva como técnico do Arsenal para desejar boa recuperação a Alex Ferguson, técnico que fez história ao comandar o Manchester United por 26 anos e conquistar incríveis 38 títulos, antes de se aposentar em 2013.

O treinador escocês deixou na última quarta-feira a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Salford Royal Hospital, em Manchester, após precisar passar por uma cirurgia de emergência no sábado por conta de uma hemorragia cerebral.

E Wenger disse esperar que outros treinadores também possam fazer história como ele e Ferguson com longos períodos à frente de outros clubes. "Ele ficou 26 anos e eu 22, mas há alguns técnicos que já estão há cinco ou seis anos no comando. Vinte e dois, eu não sei (se outro comandante repetirá), mas você não pode dizer que 'eu sou o último'. Isso pode acontecer de novo", acredita.