Esportes

Seleção feminina de vôlei está na fase final da Liga das Nações

Em duelo de seleções invictas, o time feminino do Brasil derrubou a poderosa Polônia por 3 sets a 1, nesta quarta-feira, se garantiu na fase final da Liga das Nações

Redação Folha Vitória
Foto: FIVB
A ponteira Gabi foi o grande destaque da partida, com 23 pontos para a seleção brasileira

Em duelo de seleções invictas, o time feminino do Brasil derrubou a poderosa Polônia por 3 sets a 1, nesta quarta-feira (12), se garantiu na fase final da Liga das Nações e ainda subiu para o primeiro lugar geral da competição. As comandadas do técnico José Roberto Guimarães buscaram a virada para superar as polonesas por 22/25, 25/17, 25/17 e 25/16, em Hong Kong, na China.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade de Esportes no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

Com a vitória, o Brasil se tornou a única equipe invicta da competição, com nove vitórias em nove jogos. Ao mesmo tempo, assegurou seu lugar na fase final com três rodadas de antecedência. De quebra, desbancou a própria Polônia no topo da classificação, com 25 pontos, um acima da rival europeia.

Gabi foi o grande destaque da partida, com 23 pontos. Julia Bergmann, novidade do time nesta quarta-feira, anotou 16. Pelo lado polonês, a oposta Magdalena Stysiak foi a maior pontuadora, com 18.

“Foi uma partida incrível e é ótimo continuarmos como o único time invicto na VNL. É uma grande responsabilidade, mas todos jogam uns pelos outros e isso é bom em quadra. Ainda temos alguns jogos difíceis esta semana, mas estamos prontos para ir", comemorou a ponteira Julia Bergamann.

SURPRESA NA ESCALAÇÃO

Nesta quarta, Zé Roberto surpreendeu na escalação do Brasil. Por opção técnica, ele sacou a ponteira Ana Cristina, que vinha sendo a titular na competição, e deu chance a Julia Bergmann. Ela entrou em quadra com Roberta, Gabi, Carol, Thaísa, Rosamaria e a líbero Nyeme. O treinador aproveita a Liga das Nações para testar o elenco que irá convocar para a Olimpíada de Paris/2024.

Com esta formação, o Brasil começou bem a partida, diante da apatia das polonesas. Sem sofrer, abriu 15/10 e parecia encaminhar com facilidade o primeiro set do confronto. Mas, aos poucos, a Polônia se encontrou em quadra, principalmente a levantadora Joanna Wolosz, o cérebro do time.

A reação veio forte. E, de 17/12 a favor para o Brasil, a Polônia virou para 19/17. Mesmo irregular, a Stysiak liderava o ataque polonês, confirmando a vitória na primeira parcial. O segundo set exibiu o mesmo roteiro no início. As brasileiras abriram 10/5. Desta vez, elas evitaram qualquer reação polonesa. Fecharam a parcial e empataram o duelo.

O terceiro foi mais equilibrado que os dois sets anteriores. As brasileiras saíram na frente, com 7/3. Mas levaram um susto quando o bloqueio polonês resolveu funcionar, com seguidos pontos, até o empate em 9/9. E, depois, a virada para 12/9. A seleção não se abalou, reagiu e as duas equipes se alternaram no placar até o Brasil despontar e fechar o set.

Após a virada no jogo, a seleção sustentou o alto nível no começo da quarta parcial. Construindo aos poucos a vantagem, o Brasil conseguia neutralizar tanto Wolosz quanto Stysiak, melhor jogadora da Polônia, em bloqueio simples. As brasileiras abriram 22/14 e sacramentaram a vitória na sequência.

A seleção brasileira volta à quadra na quinta-feira (13) para enfrentar a Alemanha, às 6 horas, pelo horário de Brasília. Na sequência, as adversárias serão a Bulgária e a Turquia na sexta (2h30) e no domingo (6h), respectivamente, encerrando a participação brasileira na fase classificatória da Liga das Nações.

Pontos moeda