• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Em briga pela ponta, São Paulo perde poder de fogo no ataque no 2º turno

  • COMPARTILHE
Esportes

Em briga pela ponta, São Paulo perde poder de fogo no ataque no 2º turno

A versão tricolor do returno vem deixando a desejar quando o assunto é fazer gols

O São Paulo reassumiu a liderança do Campeonato Brasileiro graças ao empate em 0 a 0 com o Santos, domingo, na Vila Belmiro. Não poderia haver forma mais simbólica de voltar, mesmo que provisoriamente, à ponta da tabela. A versão tricolor do returno vem deixando a desejar quando o assunto é fazer gols.

Nas seis partidas disputadas até aqui, foram apenas quatro, média de 0,66 por partida. Para efeito de comparação, o time virou o primeiro turno com 32 gols em 19 jogos (1,7 de média). Não à toa, a equipe era dona do segundo melhor ataque do torneio na ocasião, atrás apenas do Atlético-MG (36). Atualmente, já caiu para quarto na lista, empatado com o Flamengo.

Antes do empate no clássico deste domingo, o São Paulo derrotou o Bahia por 1 a 0, perdeu para o Atlético-MG pelo mesmo placar, empatou com o Fluminense por 1 a 1, superou o Ceará por 1 a 0 e ficou na igualdade de 1 a 1 com o Paraná.

Quando conseguiu a incrível sequência pós-Copa que o catapultou à primeira posição do campeonato, o time de Diego Aguirre marcou 14 gols em sete jogos, média de dois por confronto.

Um fator importante para a queda de rendimento da equipe pode ser a ausência de Everton em praticamente quatro dos seis jogos do returno. Depois de jogar contra o Paraná, ele se machucou durante o duelo com o Ceará. Ficou três partidas afastado e voltou no clássico de domingo, quando jogou apenas o primeiro tempo. Além de ter cinco gols marcados na temporada, ele é o principal garçom da equipe, com seis passes para gol.

Mesmo os artilheiros do time vêm deixando a desejar. Até aqui, Diego Souza e Nenê, autores de 12 gols no ano, fizeram apenas um cada no segundo turno. O camisa 9 marcou contra o Bahia e o 10, diante do Paraná.

Depois do jogo contra o Santos, o próprio Aguirre admitiu que o time vem deixando a desejar lá na frente: "Nos faltou, na verdade, mais poder ofensivo e aproveitar os espaços que o Santos deixava".

Para permanecer na primeira posição da tabela, o São Paulo torce para que o Internacional perca da Chapecoense nesta segunda, às 20h, na Arena Condá. Qualquer empate já será suficiente aos gaúchos para retomar a primeira colocação, justamente pela diferença de saldo de gols, atualmente desfavorável para os paulistas.