• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Jair Ventura se rende a Jadson: 'É aquele 10 clássico, que está em extinção'

  • COMPARTILHE
Esportes

Jair Ventura se rende a Jadson: 'É aquele 10 clássico, que está em extinção'

O técnico Jair Ventura confia no talento e na experiência de Jadson para o Corinthians alcançar uma sequência de vitórias no Campeonato Brasileiro e chegar à decisão da Copa do Brasil. Aos 34 anos, o meia é o principal responsável pela armação das jogadas da equipe e foi o autor do primeiro gol corintiano na virada por 2 a 1 sobre o Sport, no último domingo à noite, em Itaquera, pela rodada passada do Brasileirão.

"Jadson é aquele 10 clássico, que está em extinção. É o jogador da bola parada, do último passe. Ele tem facilidade em achar os companheiros até em situações com três volantes. Fez um gol lindo, de canhota (contra o Sport). Não vai conseguir ser decisivo em todos os jogos, mas quando consegue tem sua importância", elogiou Jair Ventura após o triunfo sobre a equipe pernambucana.

O Corinthians volta a campo no domingo, quando recebe o Internacional na sua arena, pela 26.ª rodada do Brasileiro. Quatro dias depois, a equipe faz o segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil, contra o Flamengo, também em seu estádio, e o treinador ainda não decidiu se vai poupar alguns jogadores contra o time gaúcho.

"A gente sabe da importância de todos os jogos. Eu escuto todos os setores do clube para saber se algum jogador precisa de mais atenção. O Ralf tem um descanso obrigatório por causa do terceiro amarelo. Mas, hoje, se você me perguntar, eu digo que vou com força máxima (contra o Inter)", disse.

Quem pode perder o seu lugar no time é Roger. Contra o Sport, o atacante perdeu duas chances de gol no primeiro tempo e acabou substituído na etapa final por Pedrinho.

"Podemos insistir com o Roger ou testar outras opções. Tudo é possível, mas tem de pensar pouco a pouco, trabalhar. Não posso cravar situações de quem joga ou não. Tenho uma competitividade interna muito importante, e todos têm a responsabilidade de jogar", disse Jair Ventura.