• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

João Gomes bate recorde sul-americano e vai à semifinal dos 50m peito no Mundial

  • COMPARTILHE
Esportes

João Gomes bate recorde sul-americano e vai à semifinal dos 50m peito no Mundial

Ele cravou 26s67, terceiro melhor tempo das baterias qualificatórias, lideradas de forma brilhante por Adam Peaty, que bateu o próprio recorde mundial

Em uma eliminatória marcada por quebras de marcas, o brasileiro João Gomes Júnior fez bonito nesta terça-feira ao avançar à semifinal dos 50 metros peito da natação do Mundial de Esportes Aquáticos, em Budapeste, com a quebra do recorde sul-americano desta prova. Ele cravou 26s67, terceiro melhor tempo das baterias qualificatórias, que foram lideradas de forma brilhante pelo britânico Adam Peaty, que bateu o próprio recorde mundial e do campeonato ao cronometrar 26s10, superando com impressionante folga os 26s42 que ele havia estabelecido no Mundial de 2015, em Kazan, na Rússia.

O segundo melhor tempo das eliminatórias desta prova foi conquistado pelo sul-africano Cameron Van der Burgh, que assim como Peaty também é campeão mundial e olímpico e marcou 26s54 para ficar logo à frente de João Gomes Júnior.

Outro brasileiro que é esperança de medalha para o Brasil nos 50 metros peito, Felipe Lima também avançou às semifinais, que serão realizadas ainda nesta terça. Ele obteve o sexto melhor tempo ao terminar a distância em 26s93, ficando logo atrás do russo Kirill Prigoda, quinto colocado com 26s91, e do norte-americano Kevin Cordes, quarto com 26s83.

Nadando mais rápido do que este trio fechado por Felipe Lima, João Gomes Júnior quebrou um recorde sul-americano que já durava oito anos e pertencia ao seu compatriota Felipe França Silva, que havia cravado o tempo de 26s76 quando foi medalhista de prata no Mundial de Roma, em 2009.

Atual campeão olímpico, Adam Peaty justificou a condição de principal favorito ao ouro ao baixar nada menos do que 0s32 o seu recorde mundial, o que é bastante tempo para uma prova de explosão e grande velocidade como esta dos 50 metros peito, no qual qualquer erro pode ser considerado determinante para um nadador.

Ao projetar as semifinais, que começarão a ser disputadas a partir das 12h30 (de Brasília) desta terça, João Gomes Júnior procurou não mostrar muita empolgação e manter a concentração na luta por uma vaga na decisão por medalhas.

"Estou bem feliz. Eu esperava nadar melhor, mas não de manhã cedo abaixo desse recorde sul-americano. Agora tenho que colocar a cabeça no lugar, tirar um pouco dessa euforia. Foi a primeira caída nos 50m. Tenho que analisar esse vídeo (da prova) porque na minha sensação eu não estava na 'vibração, na pegada' e o tempo me surpreendeu. Não é menosprezando o tempo, mas ele já durava desde 2009 e eu, o França, o Lima, a gente vem lutando pra baixá-lo", afirmou o nadador, para depois falar como será desafiar o favoritismo de Peaty.

"Estou muito feliz mesmo, mas agora à tarde vou ter a oportunidade de nadar ao lado do Peaty e eu já sei quais são os meus pontos fortes do lado dele. Já nadei uma vez ao seu lado até os 35 metros, então hoje vai ser a minha final. Vou dar tudo de mim pra ganhar dele ou chegar do lado. A semifinal é a fase mais difícil. Fiquei de fora dos 100m e o tempo 59s0, que eu tinha, foi medalha. Agora é nadar com tudo, com toda garra, toda emoção pra entrar na final e aí sim começar a pensar em medalha", completou João.

Felipe Lima também exibiu satisfação por ter ido à semifinal, pois avançou com a sua melhor marca pessoal nesta prova, que ele havia alcançado também neste ano, no Troféu Maria Lenk, no qual marcou 27s00 nos 50 metros peito. "Estamos dentro. Consegui nadar abaixo de 27s pela primeira vez. Acho que o importante é estar dentro desta semifinal. Agora é soltar, descansar e voltar à noite (final da tarde no horário local) pra buscar a final. Foi uma prova muito cedo e me senti um pouco sonolento, mas acho que dá pra melhorar ainda mais na semifinal. A gente consegue ver só a galera que está do seu lado e é muito perigoso segurar porque só classificam 16. Tem que ficar um pouco esperto", analisou.

LEONARDO DEUS AVANÇA NO SUFOCO - Outro brasileiro que caiu na água em eliminatórias do Mundial nesta terça-feira, Leonardo de Deus se classificou no sufoco às semifinais dos 200 metros borboleta, pois conseguiu apenas o 16º e último tempo dos nadadores que seguiram em frente nesta prova. Ele avançou com a marca de 1min56s71, mais de dois segundos mais lento do que a obtido pelo húngaro Laszlo Cseh, estrela da casa, que liderou estas baterias qualificatórias com 1min54s08. As semifinais também estão marcadas para acontecerem nesta terça.

"Foi uma prova em que antes de cair pra nadar eu estava bem tranquilo. Fui até um pouco displicente, eu acho, mas esperava nadar pra 1min56s00 pra classificar tranquilo. Já tinha falado com meu técnico que a gente não iria aplicar 100% da força agora de manhã. Meu objetivo não era passar em 16º, mas ali em 10º ou 11º. Mas agora que entramos (nas semifinais), passado esse sustinho, vou vir com tudo. Tenho condições de estar nessa final, tenho 1min54s lá do no Maria Lenk, então agora é descansar, recuperar e à tarde vir pra nadar 100%", comentou Leonardo de Deus ao analisar a sua participação nas eliminatórias.

Outro brasileiro que estará presente em uma disputa da natação marcada para a tarde desta terça no Mundial de Esportes Aquáticos é Guilherme Guido, que participará da final dos 100 metros costas após ter superado as eliminatórias e as semifinais na última segunda-feira. Já entre as mulheres, Manuella Lyrio esteve presente nas eliminatórias dos 200m livre nesta terça, mas ficou fora das semifinais ao obter apenas o 19º tempo, com 1min59s24.