• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Levir admite 'inoperância ofensiva' contra o Grêmio, mas exalta empate do Santos

  • COMPARTILHE
Esportes

Levir admite 'inoperância ofensiva' contra o Grêmio, mas exalta empate do Santos

O treinador comemorou o resultado diante de um adversário "dificílimo", especialmente pelo empenho dos jogadores, mas classificou o ataque santista como inoperante

Porto Alegre - O técnico Levir Culpi valorizou o empate em 1 a 1 conquistado pelo Santos contra o Grêmio, neste domingo, em Porto Alegre, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas reconheceu que o time não teve a eficiência ofensiva que o caracteriza no duelo contra o gaúchos. O treinador comemorou o resultado diante de um adversário "dificílimo", especialmente pelo empenho dos jogadores, mas classificou o ataque santista como inoperante.

"Foi um ótimo resultado pela qualificação do Grêmio, talvez uns dos melhores do Campeonato Brasileiro. Então, a valorização do resultado está aí. Mas nos tivemos alguns momentos na partida de inoperância ofensiva, o que também não pode acontecer. No segundo tempo, nós demos preferência, em uma coisa instintiva, para a defesa ao invés do ataque. E isso eu não gostei. Realmente, acho que uma crítica é cabível nessa situação".

Levir também criticou a postura do árbitro Bráulio da Silva Machado, que concedeu dez minutos de acréscimos no segundo tempo. Mas o treinador santista fez uma ressalva por considerar que a arbitragem brasileira tem sofrido pressões e cobranças excessivas, algo que, na visão de Levir, influencia nas decisões tomadas dentro de campo pelos juízes.

"Achei esquisito essa coisa dos acréscimos. É aquilo que falei: saí correndo, porque senão ele iria dar mais um minuto de desconto. Foi muito desconto. Não acabava nunca mais o jogo. E o Grêmio sufocando, é um time de ótima qualidade. A gente não conseguia mais sair mais em velocidade. Fizemos as três substituições, tivemos muitas contusões. Os clubes, os técnicos e os jogadores ficam tão pressionados que passam essa pressão para o árbitro. É um erro que a gente comete, mas isso é produzido pela nossa cultura do futebol. Tudo é para o nosso time, nada é contra", destacou Levir.

O Santos, terceiro colocado no Brasileirão, chegou aos 31 pontos, dez atrás do líder Corinthians e com dois a menos do que o Grêmio, que está na segunda posição. Na próxima quarta, o time santista voltará a campo para enfrentar o Flamengo, às 21 horas, no Pacaembu, em jogo válido pela 18ª rodada do torneio nacional.