• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Alan Ruschel celebra volta ao futebol e fala em 'frio na barriga'

  • COMPARTILHE
Esportes

Alan Ruschel celebra volta ao futebol e fala em 'frio na barriga'

Foram pouco mais de oito meses de recuperação desde a queda do avião que levava a Chapecoense para Medellín, para a decisão da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, até agora

Quando a Chapecoense entrar em campo para encarar o Barcelona na próxima segunda-feira, pela disputa do Troféu Joan Gamper, no Camp Nou, não estará apenas enfrentando o adversário mais importante de sua história, mas também celebrando uma das mais belas superações do futebol em todos os tempos. Um dos três atletas sobreviventes do trágico acidente aéreo que vitimou 71 pessoas em novembro do ano passado, Alan Ruschel fará seu retorno oficial aos gramados.

Nesta quinta-feira, o jogador de 27 anos concedeu entrevista coletiva para falar sobre a volta e não escondeu a ansiedade. "Dá aquele frio na barriga, aquela ansiedade de moleque, o nervosismo de enfrentar uma grande equipe. Não está fugindo do que é normal um atleta sentir", afirmou.

Foram pouco mais de oito meses de recuperação desde a queda do avião que levava a Chapecoense para Medellín, para a decisão da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, até agora. De lá para cá, Alan Ruschel teve que lutar pela vida em primeiro lugar, e depois, recuperado, se colocou apto a voltar aos gramados.

"Não preciso nem falar da minha felicidade por estar voltando a jogar, a fazer o que eu mais amo. Esta coletiva é muito diferente daquela quando cheguei aqui, em dezembro, recém-saído do hospital. Estou feliz por estar realizando meu sonho pela segunda vez. A primeira foi quando me tornei atleta profissional. Agora, estar voltando a jogar é um novo sonho."

Apesar da participação no torneio amistoso, o jogador sabe que o caminho para o retorno à normalidade e à competição em alto nível ainda é longo. Alan Ruschel admitiu que ainda está um degrau abaixo de seus colegas, até pela falta de ritmo de jogo, e garantiu que quer ser tratado como qualquer outro integrante do elenco do time catarinense.

"Sempre deixei bem claro que a partir do momento em que