• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Em estreia no Mundial, Bolt segura ritmo e avança à semifinal dos 100m

  • COMPARTILHE
Esportes

Em estreia no Mundial, Bolt segura ritmo e avança à semifinal dos 100m

O atleta de 30 anos busca a medalha de ouro na prova mais tradicional do atletismo em sua despedida das pistas

Londres - Usain Bolt não decepcionou em sua estreia no Mundial de Londres. Nesta sexta-feira, o velocista jamaicano venceu com facilidade sua bateria na prova dos 100 metros e garantiu a vaga na semifinal. O atleta de 30 anos busca a medalha de ouro na prova mais tradicional do atletismo em sua despedida das pistas.

Bolt foi o mais rápido da última bateria das eliminatórias. Ele cruzou a linha de chegada com o tempo de 10s07. Como de costume, o jamaicano fez uma largada lenta, mas se recuperou rapidamente e superou todos os seus rivais nos metros finais mesmo reduzindo claramente o ritmo. O britânico James Dasaolu chegou em segundo, com 10s13, e o francês Jimmy Vicaut, em terceiro, com 10s15.

No geral, Bolt entrou na semifinal com o oitavo melhor tempo das eliminatórias. O mais veloz foi Julian Forte, compatriota de Bolt. Único a correr abaixo da marca de 10 segundos, ele anotou 9s99. O norte-americano Christian Coleman foi o segundo mais rápido, com 10s01. E o marfinense Ben Youssef Meité foi o terceiro, com 10s02.

Medalha de prata na prova nos Jogos do Rio-2016, atrás somente de Bolt, o norte-americano

Justin Gastlin foi mais veloz que o rival nesta sexta. Registrou 10s05 e ficou em sexto, empatado com o japonês Abdul Hakim Sani Brown. Compatriota e rival de Bolt, Yohan Blake anotou o 12º tempo, com 10s13.

A semifinal e a final serão disputadas neste sábado. Bolt busca o quarto título mundial nos 100m neste fim de semana. Recordista mundial e olímpico da prova, ele é o dono da melhor marca da história: 9s58. As chances de repetir ou superar esta marca, contudo, são pequenas. Neste ano ele não passou de 9s95.

O Mundial de Londres é a última competição da carreira do jamaicano. Ele competirá ainda no revezamento 4x100m, sem entrar nos 200m, prova que considerou sua especialidade por muito tempo.