• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cristian deixa o Corinthians com R$ 14 milhões no bolso e desafetos no clube

  • COMPARTILHE
Esportes

Cristian deixa o Corinthians com R$ 14 milhões no bolso e desafetos no clube

Pelo acordo firmado com o Grêmio, Cristian foi emprestado até dezembro, quando termina também seu contrato com o Corinthians

São Paulo - O volante Cristian foi anunciado na segunda-feira como reforço pelo Grêmio após ficar seis meses só treinando no Corinthians. Ele deixa o clube paulista pela porta dos fundos, com o bolso cheio e desafetos na diretoria e na comissão técnica. Contratado no fim de 2014, o volante já recebeu do time R$ 13,4 milhões e o total passará de R$ 14 milhões. Ele custou R$ 263,5 mil por cada partida.

Pelo acordo firmado com o Grêmio, Cristian foi emprestado até dezembro, quando termina também seu contrato com o Corinthians. Neste período, os dois clubes vão dividir igualmente o valor do salário do atleta, que é de R$ 420 mil. Contratado no fim de 2014, o volante disputou 51 jogos e marcou dois gols pelo time paulista.

Neste ano, quando parecia que conseguiria ser mais útil dentro de campo, após sofrer com problemas físicos desde que chegou ao clube, Cristian acabou não encaixando no esquema tático de Fábio Carille e, fora da lista dos inscritos no Campeonato Paulista, deu entrevistas criticando o treinador e a diretoria, que, segundo ele, deveriam ter lhe informado antes que não iriam contar com seu futebol.

Irritado com a postura do atleta, Carille e a comissão técnica decidiram afastar o jogador, que passou a treinar em horários distintos do resto dos jogadores. A saída do jogador é vista como uma economia dentro do clube, já que até o fim do ano, o Corinthians teria que pagar R$ 1,68 milhão, mas pagará apenas R$ 840 mil. Entretanto, existe o consenso de que houve uma demora muito grande para conseguir negociá-lo.

O Corinthians não quis aceitar algumas propostas que pediam a liberação de graça e com o clube tendo que pagar integralmente o salário do atleta. Por isso, ele ficou seis meses apenas treinando e neste período sequer teve contato com a diretoria e Carille.