• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Treinão em homenagem ao maratonista agredido pelo filho reúne 70 amantes de corrida em Castelo

  • COMPARTILHE
Esportes

Treinão em homenagem ao maratonista agredido pelo filho reúne 70 amantes de corrida em Castelo

A organização conseguiu arrecadar mais de R$ 2.200,00, que serão doados ao maratonista de Cachoeiro, que segue em tratamento há mais de um ano. A expectativa é que a doação seja feita ainda nesta semana

O Treinão Solidário em homenagem ao maratonista Valdemir de Matos, organizado pela equipe de Corredores de Rua de Castelo, reuniu 70 amantes de corrida no último sábado (23), nas ruas do município. Ao todo, a organização conseguiu arrecadar R$ 2.270,00 com a renda as inscrições, que serão doados ao maratonista, que está em tratamento há mais de um ano.

De acordo com um dos organizadores, Ronaldo Belotti Vargas, a expectativa é fazer a entrega e uma visita ao homenageado do treinão ainda nesta semana. “Tudo correu como queríamos: a divulgação do esporte, uma grande homenagem e ajuda ao nosso guerreiro Valdemir. Além de uma integração entre os corredores do sul do Estado”, comenta.

Participaram do treinão, de corredores de: Castelo, Cachoeiro de Itapemirim, Alegre, Venda Nova do Imigrante e Marataízes. “Foi um dia muito agradável, super positivo e muito legal. No fim, tivemos um café da manhã, um pós-treino, que foi uma grande confraternização entre os corredores, familiares e amigos”, completa Ronaldo.

Uma lei municipal em Castelo criou o dia do corredor de rua, que é comemorado no mês de novembro. O grupo já estuda a realização de uma corrida para celebrar a data.

Homenagem

No dia 11 de março de 2016, a carreira foi interrompida de forma triste. Valdemir foi agredido pelo filho mais velho, Júlio César da Cruz de Matos. Ele teve um surto e exigiu que o pai arrumasse dinheiro. Como se negou, o filho – usuário de drogas –, atirou uma pedra, que atingiu a nuca do maratonista. Ele estava próximo à escada da residência, perdeu o equilíbrio e caiu.

O fato ocorreu dois meses antes da passagem da Tocha Olímpica por Cachoeiro, e o maratonista tinha sido escolhido como um dos condutores. Nem mesmo sua condição de ocasião o impediu de percorrer o trecho determinado pela organização do evento. Em uma cadeira de rodas e com a ajuda da esposa, Valdemir emocionou o público que o acompanhou por 200 metros transportando o símbolo maior das Olimpíadas.

Valdemir participava de maratonas há 20 anos e conquistou várias medalhas nas diversas competições e ficou bastante conhecido entre os amantes do esporte. Todos os dias, o maratonista era visto treinando pelas ruas de Cachoeiro e conquistou o respeito não apenas de outros maratonistas, como também de todos os cachoeirenses, que sempre admiraram sua determinação.