• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Em ano de reconstrução, Chapecoense celebra permanência na Série A do Brasileiro

  • COMPARTILHE
Esportes

Em ano de reconstrução, Chapecoense celebra permanência na Série A do Brasileiro

Diretoria e comissão técnica se reuniram para traçar os rumos e definir as metas do time catarinense nos próximos meses

Em um ano sofrido e de reconstrução, a Chapecoense conseguiu garantir a permanência na primeira divisão do Campeonato Brasileiro na rodada passada. O time bateu o Vitória por 2 a 1, na Arena Condá, em Chapecó (SC), atingiu 47 pontos e celebrou como se tivesse conquistado um título.

A "salvação" do time fez com que jogadores festejassem no vestiário da Arena Condá ao som de "vamo, vamo, Chapê", em cena que lembrou a comemoração feita em 2016, quando o time se classificou para a final da Copa Sul-Americana, dias antes da tragédia na Colômbia. "É um momento de alívio, de realizações. A torcida pode gritar que está na Série A de 2018", afirmou Moisés Ribeiro, remanescente do time do ano passado.

O atacante Túlio de Melo lembrou das vítimas do acidente aéreo ocorrido em 2016. "Conseguimos cumprir a missão de deixar o time no mesmo patamar que eles deixaram", comentou. "A emoção tomou conta de todos. Teve sabor de conquista, embora sua briga na tabela era apenas para se salvar do rebaixamento", afirmou.

O ano foi de luto e retomada para a Chapecoense. O acidente aéreo na Colômbia no dia 28 de novembro de 2016 deixou um saldo de 71 mortos - entre eles 19 jogadores, o técnico Caio Júnior, integrantes da comissão técnica, diretores e o presidente, além de 21 jornalistas que trabalhariam na primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, em Medellín.

Diretores que não foram para a Colômbia assumiram o comando. O técnico Vagner Mancini foi contratado e jogadores de todas as partes do Brasil começaram a chegar. A primeira partida no ano foi disputada em 21 de janeiro, um amistoso contra o Palmeiras na Arena Condá. Pouco tempo depois, o clube conquistou o inédito bicampeonato catarinense e chegou a liderar o Brasileirão.

Um erro na escalação do zagueiro Luiz Otávio contra o Lanús, em Buenos Aires, tirou da Chapecoense a vaga nas oitavas de final da Copa Libertadores e o time se perdeu. Vagner Mancini foi demitido e Vinícius Eutrópio e Emerson Cris tentaram dar um rumo à equipe, que ainda realizou uma série de amistosos na Europa e Japão em homenagem às vítimas.

Foi só com o técnico Gilson Kleina que a estabilidade do time voltou ao normal e o time, que retomou o rumo das vitórias, principalmente em casa, garantiu a permanência na Série A.

PLANEJAMENTO 

A Chapecoense começou nesta semana a planejar a próxima temporada. Diretoria e comissão técnica se reuniram para traçar os rumos e definir as metas do time catarinense nos próximos meses. "O planejamento já começou, inclusive já tivemos reuniões, mas temos um árduo caminho pela frente", explicou o diretor de comunicação do clube, Fernando Mattos.

A aposta é na manutenção da base de jogadores e do estilo de jogo proposto por Gilson Kleina. "A gente sabe da competitividade, então vamos manter o mesmo planejamento apresentado até aqui", afirmou.

O próximo confronto da Chapecoense será contra o lanterna Atlético Goianiense, neste domingo, às 17 horas, em Goiânia. Em seguida, a equipe visita o Bahia, em Salvador, e, por fim, encerra o Brasileirão em frente à sua torcida contra o Coritiba.