• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Grêmio nega ter espionado treino de rival com drone e Lanús elogia 'criatividade'

  • COMPARTILHE
Esportes

Grêmio nega ter espionado treino de rival com drone e Lanús elogia 'criatividade'

O diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, negou tal prática para tirar vantagem dos rivais

Porto Alegre - Mesmo antes de a bola rolar, o noticiário da grande final da Copa Libertadores ganhou um ingrediente especial. Enquanto o Grêmio nega ter espionado treinos fechados do Lanús com a captação de imagens por meio de um drone, os rivais argentinos elogiam a possível "criatividade" do time gaúcho. As duas equipes disputam a primeira partida da decisão nesta quarta-feira, às 21h45, em Porto Alegre.

"Nos chegou esta informação, mas não detectamos nada. Pessoalmente, felicito a criatividade da pessoa que quis fazer isso. É interessante saber o que faz o rival e poder cobrir todos os detalhes. Se conseguiu fazer isso, felicito, mas nós não detectamos nada", disse o preparador físico do Lanús, Diego Osses, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Segundo matéria veiculada pela ESPN, o Grêmio contratou um homem para filmar e fotografar as atividades do Lanús e de outros adversários durante a campanha da Copa Libertadores e de alguns jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. Desta forma, a comissão técnica de Renato Gaúcho tinha acesso à escalações e jogadas ensaiadas dos adversários com antecedência. A publicação ainda afirmou que a passagem e a hospedagem do 'espião' na Argentina foram pagos pelo clube gaúcho.

O diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, negou tal prática para tirar vantagem dos rivais. "Imaginava que o Grêmio estava nesta posição pela qualidade de seus jogadores e comissão técnica, não por espionagem. Imaginei que a razão pela qual o clube está nesta situação é por sua competência. Entrei ao vivo na ESPN aguardando que me dessem alguma prova, que tivessem uma prova de que alguém é funcionário do Grêmio ou coisa parecida. Lamentavelmente, fizeram um mantra de vitimismo ou de que eu estava os atacando", afirmou o dirigente.