• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Assessor suspeito de divulgar pesquisa eleitoral falsa é exonerado do governo do Estado

  • COMPARTILHE
Geral

Assessor suspeito de divulgar pesquisa eleitoral falsa é exonerado do governo do Estado

A exoneração, divulgada no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (15), é assinada pelo atual secretário estadual de Esportes e Lazer, Roberto Carneiro

A saída de Evandro Figueiredo foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (15).

O servidor comissionado da Secretaria Estadual de Esportes do Espírito Santo (Sesport), investigado pela Polícia Federal por suspeita de propagar uma pesquisa eleitoral fraudulenta, foi exonerado do governo do Estado. A saída de Evandro Figueiredo Boldrine foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (15). A exoneração é assinada pelo atual secretário estadual de Esportes e Lazer, Roberto Carneiro.

Nesta quarta-feira (14), a Polícia Federal e a Polícia Civil realizaram uma operação, denominada 'Voto Livre', com o objetivo de combater a disseminação de notícias falsas com propósito de influenciar a manifestação de vontade do eleitor capixaba.

Segundo a Polícia Federal, uma pesquisa eleitoral falsa circulou em grupos de WhatsApp, por pelo menos 45 dias, e também foi divulgada em um site de notícias do Estado. Os responsáveis por isso, de acordo com a investigação da PF, são um jornalista e o servidor comissionado da Sesport. 

A pesquisa divulgada, de acordo com as investigações da Polícia Federal, favorecia o governador Paulo Hartung, mas segundo o delegado Vitor Moraes Soares, não há qualquer indício de que ele esteja envolvido. 

Os dois suspeitos foram ouvidos nesta quarta-feira e admitiram que a pesquisa não é verdadeira e que os números foram inventados. Houve apreensão dos celulares deles e de um computador na Sesport. Os dois foram liberados mas a investigação continua e eles podem ser indiciados por falsidade ideológica, pena de cinco anos de prisão. 

Ainda nesta quarta-feira, a superintendente de Comunicação do governo do Estado, Andreia Lopes, afirmou que a atitude do servidor foi pessoal.

“Apoiamos esse tipo de investigação e condenamos qualquer conduta equivocada de servidor público. Nós não compactuamos com esse tipo de postura”, garantiu.

Essa foi a primeira operação da Polícia Federal no Brasil de combate a fake news.

Outro lado

A reportagem do jornal online Folha Vitória tentou contato com Evandro Figueiredo, mas não teve retorno até a publicação desta reportagem. 

O site 'Capixaba.com' informou, em nota de esclarecimento publicada no site, que há cerca de dois meses implantou uma coluna de política, com o objetivo de cobrir os bastidores da política capixaba, e que causou surpresa a acusação. A nota diz ainda que os responsáveis estão à disposição para esclarecimentos.