• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Decreto cria unidade de conservação marinha no Espírito Santo

  • COMPARTILHE
Geral

Decreto cria unidade de conservação marinha no Espírito Santo

O arquipélago de Trindade e Martim Vaz, localizado no litoral do Espírito Santo, passa a ser Área de Proteção Ambiental

O Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (20) publicou dois decretos que criam duas novas unidades de conservação marinhas. O anúncio da criação das áreas foi feito nesta segunda-feira (19) pelo ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, durante o 8º Fórum Mundial da Água, que ocorre em Brasília.

O primeiro decreto cria a Área de Proteção Ambiental e o Monumento Natural do Arquipélago de Trindade e Martim Vaz e Monte Colúmbia, localizados no extremo leste da Zona Econômica Exclusiva Brasileira (ZEE) do litoral do Estado do Espírito Santo.

Leia também:
- Expedição vai explorar cadeia de ilhas Vitória-Trindade
- Pesquisadores apresentam à Ilha de Trindade, localizada no ES

O segundo decreto cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Arquipélago de São Pedro e São Paulo e o Monumento Natural Marinho do Arquipélago de São Pedro e São Paulo, no extremo nordeste da ZEE, no litoral do Estado de Pernambuco.

De acordo Sarney Filho, com criação das unidades, o Brasil amplia de 1,5% para 25% a sua área protegida na zona costeira marinha, ultrapassando os 17% recomendados pelas Metas de Aichi, um conjunto de ações que devem ser assumidas pelos países para deter a perda de biodiversidade planetária. "É um salto fundamental para protegermos os nossos oceanos dos riscos da degradação", disse.

Trindade e Martim Vaz

Localizadas no Oceano Atlântico como área do município de Vitória, no Espírito Santo, essas ilhas estão a pouco mais de 1.100 km do continente.

Com natureza selvagem, no sentido mais literal da expressão, o arquipélago é considerado o destino mais distante do território brasileiro. Só para ter uma ideia, a África está a 2.400 km dali.

Nesta espécie de Ilha, no extremo leste do País, a biodiversidade abriga espécies endêmicas como o caranguejo-amarelo, pardela de trindade, uma subespécie de fragata e bosques de samambaias gigantes com mais de 5 metros.

A região é considerada pelos pesquisadores como uma formação única no planeta, com uma cordilheira de montanhas de mais de 1.000 quilômetros de extensão. São 30 montes submersos no oceano, sendo dez deles tão profundos que alcançam a zona mesofótica, uma área com pouca incidência de luz que fica entre 30 e 150 metros de profundidade. 

Atualmente, apenas a Ilha da Trindade é habitada e serve como base militar da Marinha.