• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Familiares denunciam lotação no Himaba, em Vila Velha

  • COMPARTILHE
Geral

Familiares denunciam lotação no Himaba, em Vila Velha

Parentes dos pacientes contaram que as crianças dormem em colchonetes, no chão do hospital

Relatos de que pacientes estavam deitados no chão foram feitos por familiares.

Familiares denunciaram lotação no Hospital Estadual Infantil e Maternidade de Vila Velha (Himaba). Durante toda a tarde da última quarta-feira (7), a equipe da TV Vitória esteve no Himaba e acompanhou a situação de mães e pais que estavam com os filhos precisando de atendimento na unidade. 

A equipe do programa ES no Ar recebeu vídeos que mostram a situação dentro do hospital. Crianças são obrigadas a deitar em colchonetes, no chão, ou a receber atendimento em cadeiras, e muitas com soro no braço.

Dentre as histórias de mães e pais de crianças que foram ouvidas na tarde da última quarta-feira, tem a da filha da Claudineia de Jesus. A menina tem 12 anos e está com pneumonia. Ela passou a noite deitada no chão. "Está uma bagunça, um caos. As crianças estão no chão e todos nós dormimos no chão. E quando o dia amanheceu, eles disseram que era proibido dormir no chão", contou. 

Sobre essas denúncias no Himaba, a equipe da TV Vitória ouviu a coordenadora de enfermagem do hospital. Desirée Seide informou que há uma sala onde as crianças ficam em observação. "Essas crianças entram e precisam ser examinadas. Nós temos uma sala de obervação, onde as crianças aguardam os exames e são medicadas de acordo com a necessidade e critério médico, e a partir de então, são encaminhadas para internação ou para receber alta".

Sobre os pacientes deitarem no chão do hospital, Desirée disse que todos são orientados pela equipe. "Nós temos cadeiras, elas fazem isso por conta de comodidade, mas a enfermagem está a todo momento orientando e dizendo que não pode, inclusive, para segurança do paciente e infecção hospitalar, mas a mãe é dona da vontade dela. Vamos continuar o nosso trabalho buscando melhorar e tentando agilizar o máximo possível do nosso serviço que já é ágil, e a garantia que eu tenho é que vamos estar trabalhando para resolver esse problema". 

Veja vídeo da matéria: